21 de julho de 2018 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Coluna
Xadrez
Rubens Salomão
Rubens Salomão
30/03/2018 | 06h00
Sem força, Caiadistas no MDB buscam novos caminhos

Apesar de manter o discurso em defesa da pré-candidatura do senador Ronaldo Caiado (DEM), lideranças do MDB já consideram procurar novos caminhos para a disputa da eleição deste ano. Projetos como a pré-candidatura de José Nelto a deputado federal ficam suspensos por tempo indeterminados e podem, inclusive, ser tocados em outros partidos. “Ainda posso mudar meu projeto político até para ser pré-candidato ao Senado. Não está descartado. A decisão sobre mudança de partido vai acontecer no dia 7 de abril até meia noite”, afirma o deputado, animado com a divisão na oposição e provável composição de duas chapas majoritárias: uma em torno de Daniel Vilela – onde não teria espaço, e outra com Ronaldo Caiado. Outro que chegou a defende publicamente maior “viabilidade eleitoral” do senador foi Lívio Luciano. O deputado, no entanto, sequer esteve no evento de apoio ao democrata e tem se movimentado em reaproximação do grupo vilelista. A mudança de partido não está descartada para Lívio, que busca a reeleição à Assembleia.

Nomes para chapa

Além de José Nelto, quem também passa a enxergar oportunidade para candidatura ao Senado é o ex-vereador e secretário municipal de Planejamento, Agenor Mariano (MDB), que pode deixar o cargo na prefeitura no prazo de desincompatibilização.

Até o fim

Caiadistas percebem o enfraquecimento do grupo no MDB, mas mantêm o discurso de que poderão levar até à convenção a proposta para que o partido apoie Caiado.

Ação e reação

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) afirmou que a radicalização e os episódios de violência política no país são alimentados por declarações de desrespeito à lei. “Está na hora de os líderes entenderem que suas palavras, principalmente as de desrespeito a decisões legais, têm consequências que podem ser ruinosas para a democracia”, afirmou o tucano ao jornal Folha de S. Paulo. FHC declarou que os ataques à caravana do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e outros conflitos acentuam a necessidade de fortalecimento das instituições. “Há tempos venho alertando sobre a radicalização crescente. Ou prestigiamos as instituições e a lei, ou nos arriscamos a ver o crescimento de ‘chuvas de ovos’, ou, o que é pior, eventualmente, a ouvir tiros que podem atingir alguém”, afirmou. O ataque a tiros à comitiva de Lula aconteceu em Quedas do Iguaçu, no Paraná, na noite de terça-feira (27), quando dois ônibus foram atingidos por disparos. Antes, a caravana do ex-presidente pela região Sul havia sido alvo de ovos e pedras.

CURTAS

Discurso X prática – O ex-presidente Lula respondeu aos ataques afirmando que “ninguém pode dizer que o Lula é agressivo”. Sei.

Agenda constante - O ministro das Cidades, Alexandre Baldy, volta a Goiânia na próxima quarta-feira para liberação de R$ 7 milhões para a Marginal Botafogo.

Sonhos - Pesquisa do SPC Brasil e CNDL aponta que 52% dos desempregados no país teve de abandonar algum projeto ou sonho de consumo por conta da demissão.

A terceira

Circula especulação entre procuradores da república em Brasília sobre nova denúncia contra Michel Temer (MDB), como consequência da prisão de amigos do presidente na deflagração da Operação Skala, pela Polícia Federal.

Dois lados

Na base do emedebista, há expectativa sobre como seria o comportamento do presidente da Câmara dos Deputados e pré-candidato ao Planalto, Rodrigo Maia (DEM/RJ). Ajudaria mais uma vez a salvar Temer ou escolheria derrubá-lo? Muy amigo.

Recalculando rota

O ministro Henrique Meirelles está prestes a trocar o PSD pelo MDB para se candidatar a vice na chapa que, possivelmente, seria encabeçada por Temer. Com a nova operação da PF, o anapolino pode se animar.

Novidade

A suspeita de que Michel Temer receba propina de empresas que atuam no porto de Santos é investigada desde 2004. Foi quando a Polícia Federal instaurou um inquérito para apurar as primeiras acusações.

Só o nome?

No bojo de mudanças de nome com mesmas práticas de partidos políticos, agora o PPS é que deve mudar a alcunha. O presidente do partido, deputado federal Roberto Freire (SP), diz que a alteração terá base em pesquisa entre os militantes.

Isolado

O senador Wilder Morais (PP) deve mesmo anunciar decisão sobre mudança de partido e apoio a Daniel Vilela ou Ronaldo Caiado na próxima segunda-feira (2). Prioridade é vaga para candidatura à reeleição.

 
Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)
Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/maislidas.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 167 Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/blogs.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 202 Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/colunas.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 208