16 de novembro de 2018 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Coluna
Xadrez
Rubens Salomão
Porpostas
22/09/2018 | 06h00
Zé Eliton descarta gestão por organizações sociais na Educação
A terceirização foi apresentada como prioridade pelo ex-governador Marconi Perillo (PSDB) desde o início do atual mandato, em 2015

O governador e candidato à reeleição pelo PSDB, Zé Eliton, define que não mantém entre as propostas nesta campanha a contratação de organizações sociais para a gestão de unidades educacionais em Goiás. A terceirização foi apresentada como prioridade pelo ex-governador Marconi Perillo (PSDB) desde o início do atual mandato, em 2015, e a então secretária de Educação, Raquel Teixeira, foi incumbida de executar a medida. A falta de organizações credenciadas para a missão e seguidos questionamentos do Ministério Público, atendidos pelo Judiciário, impediram a nova forma de gestão dos colégios. “Acho que OS não é remédio para tudo. Teve um excelente resultado na Saúde, mas na Educação eu estou definindo por não implantar esse modelo. Inclusive na formação técnico-profissionalizante, onde implantamos um processo de gestão das unidades (ITEGOs), determinei ao secretário para rever essa posição e, até o fim do ano, voltar ao modelo anterior”, define. O tucano não se satisfez com os resultados apresentados no setor.

Semelhança

Esta é a primeira vez que Eliton aborda diretamente o tema, que era tratado como alvo de “discussão” entre os aliados que participaram da elaboração do plano de governo. A posição se assemelha à apresentada pelos principais adversários.

Mudança genérica

Tanto o deputado federal Daniel Vilela (MDB), quanto o senador Ronaldo Caiado (DEM), apontam nesta campanha que não são contrários ao modelo de gestão por OS, mas que os contratos devem ser revistos com base nos resultados.

Paulo Guedes amordaçado

O economista Paulo Guedes, responsável pelo plano econômico do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), cancelou sua presença em outros dois eventos na última semana, depois do desgaste causado pela proposição dele sobre possível cobrança de “nova CPMF”. Guedes faria apresentação do plano econômico do candidato na Câmara de Comércio Americana (AMCHAM) e participaria do congresso da Expert XP, ambos em São Paulo. Os cancelamentos de agenda ocorreram após Bolsonaro determinar uma “lei da mordaça” entre seus principais assessores. A campanha do PSL tenta estancar o desgaste provocado por declarações polêmicas de Paulo Guedes e do general Hamilton Mourão (PRTB), vice na chapa presidencial. O presidenciável do PSL voltou ao Twitter e reiterou que é contra a criação de uma nova contribuição, proposta estudada pelo economista. O motivo alegado para o cancelamento seria “problema em agenda”.  Guedes estuda duas propostas que passam pela unificação de tributos nos âmbitos federal e da Previdência.

CURTAS

Time petista – Fernando Haddad estará em Goiânia na próxima sexta-feira (28). Terá atividades de rua e entrevistas junto da candidata ao governo de Goiás, Kátia Maria.

Investimento – O Fundo Municipal de Cultura tem inscrições abertas até o dia 17 de outubro para disponibilização de R$ 500 mil para projetos culturais e artísticos.

Aceitou – O governo acatará recomendações do TCU pela privatização da ferrovia Norte-Sul. A Corte aprovou a liberação, mas com série de recomendações.

Punição

As últimas edições do programa eleitoral de Zé Eliton (PSDB) não rodaram na TV.. É que ação de campanha de Ronaldo Caiado (DEM), atendida pela Justiça Eleitoral, acusa “invasão” do programa majoritário no horário dedicado aos candidatos proporcionais.

Reação

A Coligação Goiás Avança Mais, do tucano, recorre da decisão. Avaliação é de que Caiado usou de manobra jurídica para obter a liminar, ao usar jurisprudência anterior, de 2012, às regras vigentes para provocar a decisão.

Divergência

“A jurisprudência atual permite a propaganda nos moldes da veiculação feita pela Coligação Goiás Avança Mais, o que será demonstrado na defesa técnica encaminhada para Justiça Eleitoral”, aponta a assessoria de Zé Eliton.

Centro unido

A polarização entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) resultou, nos últimos dias, em possível união entre candidatos do chamado Centro. Tudo articulado por tucano em torno de Geraldo Alckmin (PSDB).

Calma lá

Questionado sobre a possibilidade, o goiano Henrique Meirelles (MDB) foi direto: “A minha resposta é que sim, sou favorável à união. Mas precisamos ter um candidato com condições de ganhar e que está subindo nas pesquisas, que sou eu”.

Vontade

“Se o PSDB quiser se unir a nós ainda no primeiro turno será muito bem vindo, caso contrário, aceitaremos com muita força o MDB e PSDB juntos no segundo turno. O PSDB apoiando o Henrique Meirelles para presidente”, rebate o emedebista.

 
Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)
Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/maislidas.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 167 Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/blogs.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 202 Warning: file_get_contents(/var/www/html/portal/public/json/colunas.json): failed to open stream: No such file or directory in /var/www/html/portal/application/controllers/ColunaController.php on line 208