22 de agosto de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

coluna Xadrez

Votação do plano diretor deve ocorrer até dezembro na Câmara Municipal

Publicado por: Rubens Salomão / Postado em 22 de agosto de 2019
Presidente defende até que, se houver dificuldades e o Plano Diretor não for aprovado neste ano, que o texto fique para a avaliação da próxima legislatura, a partir de 2021.

Rubens Salomão

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo, confirma avaliação de que a votação do projeto de revisão do Plano Diretor deverá, com todo debate previsto, ser finalizada até o fim do mês de dezembro. A perspectiva vem na esteira de manifestações de lideranças na Casa, da base e da oposição, contrárias à consideração da presidente da CCJ, Sabrina Garcêz, de que os próximos cinco meses não seriam suficientes para “exaurir” a discussão. “Da minha parte, adianto que não deixarei o Plano Diretor virar o ano. Seria uma irresponsabilidade tamanha dessa Casa misturar o Plano com o momento político eleitoral da cidade”, define Policarpo ao rejeitar a “contaminação” do projeto. O presidente defende até que, se houver dificuldades e o Plano Diretor não for aprovado neste ano, que o texto fique para a avaliação da próxima legislatura, a partir de 2021.

Pedido

Romário até tentou, mas o entendimento da Secretaria de Finanças e do prefeito Iris Rezende é de que não é adequado retomar a tramitação do projeto de novo Código Tributário de Goiânia. O foco é único para o plano diretor.

Sem resposta

“Pedi ao prefeito que retornasse o código e repito que esse projeto é o instrumento para que a cidade volte a ser atrativa economicamente para o empresariado, além de atualizar a forma de cobrança de tributos na cidade”, justifica.

Contradito

Apesar de o líder, Oseias Varão (PSB), garantir que tinha votos para derrubar as 51 emendas ao código, o Paço preferiu não testar a base com a votação do Código Tributário.

Memória

A polêmica Medida Provisória do presidente Jair Bolsonaro contra publicação de demonstrações financeiras de empresas, derruba norma originária de projeto do ex-senador Ronaldo Caiado (DEM), que tramitou por quatro anos.

Portas abertas

Além das pautas já conhecidas, o governador passa a usar o trânsito em Brasília para articular o fim da Lei Kandir, ou pelo menos compensações adequadas, e autonomia dos estados para legislar sobre ICMS.

Frustração

O ótimo relacionamento de Caiado no Congresso e no governo tem aberto portas para reuniões. No entanto, a chave do cofre ainda parece estar distante para pedidos feitos.

Mercado

A Piracanjuba (Laticínios Bela Vista) comprou os direitos pela produção dos leites longa vida da Nestlè. A multinacional suíça deixa esta atividade no país depois de 10 anos da construção da primeira fábrica.

Produtos

As marcas “Ninho” e “Molico” terão produção goiana por 10 anos, com royalties de 5% para a Nestlè. A Bela Vista espera aumentar o faturamento, que foi de R$ 2,9 bilhões em 2017, em 15%.

CURTAS

Na falácia de que não tem “viés ideológico”, Bolsonaro diz que o próximo PGR “não será alinhado com governo, mas com o Brasil”.

O presidente não deus qualquer pista sobre indicação dentro ou fora da lista tríplice.

A saída do Diretor de Futebol, Sidiclei Menezes, só intensificou a crise interna no Vila Nova.

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja buscar