10 de dezembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

coluna Xadrez

CPI não descarta pedir fim do contrato da Enel

Publicado por: Rubens Salomão | Postado em 10 de dezembro de 2019
Coluna assinada pelo jornalista Venceslau Pimentel.

Relator da CPI da Enel, o deputado Cairo Salim (Pros) disse ontem à coluna que se a investigação apontar que há configuração de crimes contra a economia popular e outros tipos de irregularidades no fornecimento de energia elétrica ao consumidor goiano, não está descarta o pedido de cassação do contrato firmado com o governo de Goiás em 2017. “Esta seria uma medida extrema”, classifica Salim. Mas como reconhece que o rompimento do contrato poderia prejudicar ainda mais os goianos, o relator entende que o melhor caminho é continuar pressionando a companhia para melhorar os seus serviços. Para tanto, a comissão já reportou o problema ao Ministério Público, Tribunal de Justiça e à Polícia Civil. Como os problemas no fornecimento de energia têm se agravado Estado a fora, Salim projeta o fim da CPI lá para março ou abril de 2020.

Mãos atadas

Cairo Salim lamenta que o estado de Goiás fique refém da companhia distribuidora de energia elétrica que, segundo ele, trabalha de acordo com as suas conveniências. Ele diz aguardar medidas da Enel, agora em dezembro, dentro do termo de compromisso com o governo.

A vez do chefão

Na mira da CPI desde que foi instaurada, em fevereiro, o presidente da Enel Brasil, Nicola Cotugno, foi convocado para depor na próxima semana. A expectativa é de que o posicionamento dele vai servir de termômetro para novas investidas da comissão.

Pela intervenção

Ex-relator da CPI da Celg, o deputado Humberto Aidar (MDB) defende uma intervenção na Enel, diante do que considera calamidade no fornecimento de energia no Estado. A empresa italiana concluiu a compra da Celg em fevereiro de 2017, por R$ 2,2 bilhões.

‘Sou da base’

O governador Ronaldo Caiado (DEM) usou ontem suas redes sociais para rebater especulações de que haveria risco iminente de romper com o presidente Jair Bolsonaro, por conta do fim de incentivos fiscais à montadora de veículos Caoa, em Anápolis.

Fofoca

Caiado disse que esse tipo de disseminação de boatos é feito por “fofoqueiros de plantão”, que deram tiro n’água. Para falar com o presidente, afirmou que não precisa de intermediários e que, portanto, não manda recado por terceiros.

Tetê-à-tetê

Em conversa com Bolsonaro, quando de sua vinda a Goiânia, na semana passada, o governador sustentou ter reclamado do tratamento do governo federal em relação a Goiás. Classificou esse posicionamento como ato discriminatório.

Armados

Por considerar a legislação omissa, a deputada tucana Lêda Borges quer regulamentar o uso de equipamento de proteção para agentes de segurança educacional nas unidades de internação do sistema socioeducativo de Goiás.

Comida barata

Presidente da Câmara de Goiânia, o vereador Romário Policarpo é só elogios ao prefeito Iris Rezende, pela instalação de um restaurante popular no Paço Municipal. A unidade começa a funcionar no início do ano que vem.

Nos trilhos

Secretário dos Transportes Metropolitanos da prefeitura de São Paulo, Alexandre Baldy acompanha de perto o movimento no sistema de transportes da capital, por conta da Grande Prêmio de Fórmula 1, hoje, em Interlagos.

CURTAS

- A novela envolvendo o Hipermercado Moreirinha, que se comprometeu a construir dois Cmeis, mas não o fez, parece no fim. Por pressão da Câmara de Goiânia.

- A batalha entre a base aliada e a oposição, por conta da PEC da Previdência estadual tem data: próxima terça-feira.

- Assessores dos deputados ganham reforço para a elaboração de emendas ao orçamento de 2020. Técnicos da Secretaria de Saúde estão a postos para balizar propostas parlamentares .

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar