29 de maio de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

coluna Xadrez

Escalonamento foi ‘insignificante’ para reduzir aglomerações

Publicado por: Rubens Salomão | Postado em 29 de maio de 2020
Decreto de escalonamento definiu cinco horários diferentes para abertura de diferentes setores da economia entre os que têm permissão para trabalhar| Foto: Takeshi Gondo

Apesar da estimativa inicial da prefeitura de que o escalonamento de horários resultaria em redução de 20% no fluxo de pessoas em Goiânia, na prática as alterações não surtiram qualquer efeito no combate às aglomerações e à disseminação do novo coronavírus. Em vigor desde a última quarta-feira (29), o decreto de escalonamento definiu cinco horários diferentes, das 5h às 10h da manhã, para abertura de diferentes setores da economia entre os que têm permissão para trabalhar. “O que agente observou é que as medidas de escalonamento do decreto municipal, na prática, tiveram efeito quase que insignificante para diminuir a aglomeração nas horas de pico, principalmente no início da manhã”, admite o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Inovação, Adriano da Rocha Lima, que ainda não apresenta solução concreta para o transporte coletivo, com destaque à lotação nos terminais.

Proposta

O governo ainda deve agendar a quarta reunião para tratar da proposta das empresas concessionárias do transporte, que pedem subsídio público para bancar o prejuízo até outubro. O governo estadual segue sem dar resposta.

Pedido entregue

“O clamor das empresas é em relação ao custo gerado por transportar menos passageiros e colocar toda a frota”, afirma Adriano. Um grupo foi formado no governo para “revisar os números” apresentados pelas empresas.

Valores

Como antecipado aqui, o custo estimado pela CMTC seria entre R$ 80 milhões e R$ 90 milhões para o período de pandemia até o próximo mês de outubro.

Manutenção zero

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) desenvolveu mapa interativo em que todos podem consultar a situação das rodovias estaduais pavimentadas. A inspeção abrangeu, até agora, 40% da malha.

Precário

O estudo mostra trechos com 98,5% (GO-070) e 85,6% (GO-178) das vias esburacadas, enquanto outros acumulam erosões, como as GOs 080, 237 e 060.

Bate e assopra

Depois do primeiro ano de batalhas conta o setor produtivo para conter “excessos” nos incentivos fiscais, a secretária de Economia, Cristiane Schmidt, tentou agradar empresários ontem, na apresentação do ProGoiás.

Em casa

A secretária alinhou o discurso com Paulo Guedes e garantiu ser uma “economista liberal”, que acredita na iniciativa privada para “tirar do buraco” a economia goiana depois das consequências da covid-19.

Esperança

Diante da atual crise, o estado passou a confiar cegamente no “investimento privado” para “criar produção, renda e emprego”, segundo afirmou Schmidt no seminário remoto. “Vamos tirar as pedras do caminho dos empresários e investidores”.

CURTAS

- Diante do insucesso até agora, a prefeitura de Goiânia estuda tornar obrigatório o escalonamento de horários na cidade.

- Estudo da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico mostra que empresas não aderiram às alterações.

- Consumidores de baixa renda deverão deixar de pagar, provisoriamente, o ICMS sobre as contas de energia em Goiás.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar