GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

coluna Xadrez

BANNER SANEAGO

Ademi critica Iris Rezende (MDB) por uso político de decreto

Publicado por: Rubens Salomão | Postado em 04 de agosto de 2020
“A gente espera que o desembargador corrija essa injustiça de poder ter obra pública e não poder ter obra privada. Estamos na Idade Média para que o coronel, chefe ou rei comande?", questionou Roberto Elias - Ilustração: Takeshi Gondo.

Rubens Salomão 

“A gente espera que o desembargador corrija essa injustiça de poder ter obra pública e não poder ter obra privada. Estamos na Idade Média para que o coronel, chefe ou rei comande? Não existe justiça?”, questiona o presidente Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi), Roberto Elias. Empresários reclamam da falta de isonomia, já que o decreto do prefeito Iris Rezende (MDB) autoriza a continuidade de obras da prefeitura, mas proíbe as construções particulares. Questionado sobre possíveis intenções políticas do Paço, por conta da eleição marcada para 15 de novembro, Roberto Elias é taxativo. “Sem dúvida. Resolveram prestigiar o Iris. Tudo bem, mas deixa a gente tocar as nossas obras também. Todos investiram nas obras, compraram equipamentos e cuidaram de afastar trabalhadores do grupo de risco, providenciaram EPI e de repente não pode”, reclama o presidente.

Na Justiça

Apesar da derrubada da liminar que permitia a retomada de obras privadas, a Ademi ainda aguarda resultado de outra ação, protocolada antes para questionar o decreto estadual do governador Ronaldo Caiado (DEM).

Em caixa

Acordo firmado pelo Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos do Estado de Goiás (Cira) com a empresa Cifarma Científica Ltda resultou na recuperação de cerca de R$ 5,4 milhões aos cofres do Estado.

Parceria

O Comitê é formado por promotores, procuradores do estado, auditores fiscais e policiais civis. Em 2019, o grupo alcançou a cifra de R$ 142 milhões.

Prestação de contas

Fátima Mrué prestou contas de 2019 na Comissão de Saúde da Câmara de Goiânia e mostrou aplicação de 19% da receita na saúde (R$ 604 milhões). Os vereadores, no entanto, só questionaram sobre o trabalho de combate à pandemia.

Preparação

A reunião foi presidida pela vereadora Dra. Cristina Lopes (PL), que contestou falta de protocolo para atuação de servidores e que os trabalhadores do município não receberam treinamento sobre a Covid-19.

Prevenção

A opositora ainda rebateu a secretária ao confirmar que muitos profissionais não conseguem fazer o teste para coronavírus, mesmo lidando com casos confirmados nas unidades, que não passam por processo adequado de desinfecção.

Pelo isolamento

Aparecida de Goiânia inicia neste domingo (5) a aplicação de novas regras do isolamento social intermitente. Cada uma das 10 áreas terá dois dias de fechamento ao longo da semana e todas ficarão inativas nos fins de semana.

Frustração

A reabertura de hotéis, pousadas e pensões não surtiu o efeito esperado em Caldas Novas, com baixos registros de ocupação. Expectativa é de retomada em agosto.

CURTAS

- “Enquanto estou segurando, ele vai liberar geral”, reclamou Caiado sobre rodada de flexibilizações de Ibaneis Rocha no DF.

- A Assembleia Legislativa de Goiás fechou trabalhos do primeiro semestre com mais de mil processos votados no período.

- Cerca de 11 mil beneficiários do Bolsa Universitária, da OVG, deverão renovar o benefício a partir desta segunda-feira (6). 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar