17 de agosto de 2017 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
ANIMAIS DE RUA
19/04/2017 | 06h00
Anápolis se torna referência em saúde animal

Caio Marx

Um projeto de lei apresentado pela vereadora Thaís Souza (PSD) na Câmara de Anápolis promete minimizar o abandono e a violência contra animais domésticos na cidade. O texto prevê a castração gratuita de animais de rua e transforma o antigo prédio do Centro de Zoonozes em um centro de bem estar animal oferecendo consultas além de outros serviços gratuitamente.

De acordo com a vereadora, garantir a responsabilidade do poder público em viabilizar a castração gratuita e também desenvolver programas de conscientização junto à comunidade de Anápolis era um de seus compromissos de campanha. A autora do projeto ressaltou que já existe uma lei estadual e outra federal que trata sobre o assunto, porém, na maioria dos casos, as normas não são colocadas em práticas nas cidades.

A matéria inclui ainda a esterilização cirúrgica e campanhas de posse responsável, sendo responsabilidade do poder público acompanhar os casos específicos, e se necessário, a eutanásia. Para a autora do projeto, essas ações fazem parte de um trabalho intenso de saúde pública e envolve as secretarias municipais de Meio Ambiente e Saúde.

De acordo com a parlamentar, o atendimento deste programa, além de melhorar a qualidade de vida dos animais abandonados, vai prevenir a proliferação de doenças, tratando a questão como prioridade de saúde pública.

O deputado Lincoln Tejota (PSD) com objetivo de atender à demanda destinou emenda parlamentar de R$ 180 mil para aquisição de um ônibus que será utilizado como “Castra-Móvel” em Anápolis.A matéria que torna o município em referência em saúde animal está atualmente na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Casa de leis com pedido de parecer técnico pelas secretarias municipais.

O Projeto de Lei inova e determina ainda a criação de espaços onde os animais podem ficar com dignidade. Esses locais estarão sempre abertos à visitação pública, os bichos deverão ser separados conforme critérios de idade e temperamento e disponíveis para adoção.

Maus-tratos 

A Polícia Civil investiga o que causou a morte de cerca de 40 cachorros em Catalão, no sudeste de Goiás. A Associação de Proteção dos Animais da cidade acredita que eles foram envenenados, pois pedaços de carne com chumbinho, substância usada para exterminar ratos, foram achadas ao lado dos bichos. O delegado Vitor Magalhães, responsável pelo caso, diz que busca identificar o autor do crime.

Os cães foram achados mortos no domingo (17) em bairros diferentes de Catalão. Morreram tanto cachorros de rua quanto alguns que tinham dono. Segundo o delegado, os cães mortos passaram por exames, que devem atestar as causas da morte. Depois, eles foram enterrados no Aterro Santirário da cidade. O material colhido, assim como pedaços de carnes achados nas ruas, foram enviados para análise em Goiânia. O resultado deve sair em 30 dias.

Assim que tiveram conhecimento sobre as mortes, os voluntários da associação registraram um boletim de ocorrência na delegacia e até levaram alguns dos pedaços de carne recolhidas das ruas. Se descoberto, o autor pode ser indiciado por maus-tratos, cuja pena prevista é de até um ano de prisão.

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)