19 de outubro de 2017 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Formação Acadêmica
19/04/2017 | 10h45
Aumenta ingresso de jovens no Ensino Superior em Goiás, aponta Balanço
Segundo escalão, em um ano, o Estado incluiu mais jovens no Ensino Superior e melhorou a escolaridade média da população adulta

Da redação

Em um ano, o Estado incluiu mais jovens no Ensino Superior, diminuiu o analfabetismo, melhorou a escolaridade média da população adulta. O balanço foi divulgado durante reunião do primeiro escalão do Governo do Estado para uma reunião do Programa Goiás Mais Competitivo e Inovador na qual foi apresentado um balanço dos indicadores sociais e econômico para avaliação das ações do Governo de Goiás (evolução 2014/2015). 

O estudo foi feito pela Macroplan, usando 13 indicadores da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2015, três do DataSUS e um do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em 14 indicadores de competitividade, Goiás obteve melhorias em sua colocação nacional, comparativamente aos demais estados brasileiros. Em dois indicadores, o Estado teve piora e em um deles continuou na mesma posição.

“Eu acredito que quando fizermos o balanço das ações do governo no ano de 2017 vamos registrar melhorias nas áreas de infraestrutura, referente à recuperação e pavimentação de rodovias; na área de saneamento, segurança, saúde e educação”, pontuou o governador Marconi Perillo.

Responsável por apresentar os dados, o secretário de Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, destacou que Goiás registrou melhoria em diversas áreas comparação de 2014 com 2015. “Nós conseguimos melhorar os indicadores de jovens com Ensino Superior, o acesso à internet e à telefonia, reduzimos o analfabetismo de jovens e adultos, melhoramos a escolaridade média da população adulta, diminuímos o percentual de jovens que não estudam e nem trabalham, reduzimos a mortalidade infantil, ampliamos a oferta de saneamento, reduzimos a pobreza, diminuímos a informalidade, melhoramos o PIB per capita, reduzimos a gravidez precoce, a taxa de óbito por acidentes de trânsito e também de homicídios”, enumerou Mesquita.

Crise econômica

Apesar do PIB ter registrado queda nos últimos dois anos, de 4% entre 2014 e 2015, em todo o País, “a crise afetou menos Goiás que os demais estados brasileiros porque o governador Marconi Perillo se antecipou, cortando gastos e otimizando investimentos, por meio de uma visão moderna e arrojada”, pontou Joaquim Mesquita. O secretário afirmou ainda que por meio da parceria do Governo do Estado com os municípios a previsão é de que os indicadores de 2017 sejam ainda melhores.

“A parceria tem fluído com muita tranquilidade. Nós estamos na fase de pactuação de convênios para a posterior liberação de recursos e execução de obras do Programa Goiás na Frente. Nós estamos priorizando 24 cidades que representam 74% de todos os indicadores de Goiás. Mas eu quero frisar aqui que estamos atendendo os 246 municípios goianos”, observou Mesquita.

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)