29 de abril de 2017 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Educação
19/04/2017 | 17h00
Educação é destaque em parcerias para a competitividade
Parcerias da Seduce com prefeituras e órgãos estaduais iabilizam programas de aprendizagem, tecnologia, segurança e infraestrutura

Com parcerias em diversas áreas, a Educação de Goiás abre caminhos para o desenvolvimento social do Estado. As primeiras análises do Programa Goiás Mais Competitivo e Inovador (GMCI) mostram que a pasta conduzida pela secretária Raquel Teixeira é propulsora de competitividade ao cooperar com as gestões municipais e viabilizar projetos de aprendizagem, tecnologia, segurança e infraestrutura em trabalho integrado com diversos órgãos do Estado.

Além de avançar no ranking de escolaridade média, no ingresso ao ensino superior e na diminuição da taxa de analfabetismo, como evidenciou o estudo feito pela Macroplan com 17 indicadores, a Educação também foi destaque na área de segurança pública, infraestrutura, desenvolvimento econômico, tecnologia e em outras diversos setores.

Durante reunião do GMCI, o secretário da Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária de Goiás (SSPAP), Ricardo Balestreri, pontuou o programa Escola da Paz, que tem como objetivo criar nas escolas públicas do Estado núcleos de segurança integrados por professores, pais, vigilantes, policiais civis e militares e as guardas municipais.

Conforme acentuou, as duas secretarias se unem para atuar em conjunto, mas de forma sistêmica e permanente a fim de debelar a violência nas escolas. Na ocasião, ele elogiou a iniciativa das forças policiais do estado que realizaram a prisão em tempo recorde de responsáveis por roubos e arrastões em unidades na rede estadual.

Competitividade e Ranking de escolaridade média

Segundo o secretário de Gestão e Planejamento, Joaquim Mesquita, gestor do GSMI, os dados processados pelas consultorias Macroplan e Centro de Liderança Pública (CLP) – credenciadas pelo poder público para fazer o ranking nacional da competitividade – mostram que Goiás deve avançar no ranking da competitividade nacional de 2017 que será divulgado em julho próximo, em parceria com a Revista Exame. Pela estatística de 2016, Goiás está na 9ª posição. Para ele, os vários projetos educacionais em andamento permitirão que Goiás alcance, cada vez mais, posições de destaque.

Os indicadores da Educação foram divulgados no início desta semana e evidenciaram que Goiás avançou três posições no ranking de escolaridade média, passando de 13º lugar para 10º lugar, à frente dos vizinhos Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, subindo de  7,6 para 8,1 anos de estudos.

Outros avanços foram apresentados, como a taxa de analfabetismo que caiu de 7,7% para 6,1%.  No ensino superior, Goiás subiu da 13ª para a 7ª posição na proporção de jovens com curso universitário – atualmente, 18,6% dos jovens goianos têm nível superior – e ainda, reduziu a quantidade de jovens “nem-nem”, ou seja, aqueles que não estudam nem trabalham.

O encontro, liderado pelo governador Marconi Perillo, mostrou também outros índices positivos das ações do governo de Goiás, que comprovam a redução da pobreza e o desenvolvimento no saneamento e na infraestrutura domiciliar entre 2014 e 2015.

Alguns programas

Aprender +

Entre um dos mais recentes investimentos  da Educação está o Caderno de Atividades Aprender +, também exposto na reunião do GMCI.

Foram entregues mais de 300 mil exemplares dos cadernos para o primeiro e segundo bimestres do quinto e nono do ensino fundamental e da terceira série do médio, beneficiando professores e alunos da rede estadual de educação.

Desenvolvido pela Superintendência de Inteligência Pedagógica da Secretaria de Educação, Cultura e Esporte de Goiás (Seduce), e lançado no inicio de 2017, o material pedagógico complementa, amplia e sistematiza conhecimentos em Língua Portuguesa e Matemática, além de dar apoio ao trabalho do professor. Trata-se de uma política pública que efetivamente fará diferença na aprendizagem do aluno

Aliança Municipal

A Aliança Municipal pela Competitividade é um desdobramento do Programa Goiás Mais Competitivo e Inovador (GMCI) e tem o objetivo de promover a união de esforços e a articulação de recursos entre Estado e Municípios.

A Seduce  fez a Pactuação da Aliança Municipal na área da educação infantil com os 24 municípios focais e outros 59 municípios prioritários com os quais também trabalha, além dos demais 166. Já iniciou o trabalho com as prefeituras no desenvolvimento de estratégias de melhorias do aprendizado.

Mais Creche

De acordo com a secretária Raquel Teixeira, o estado não trabalha com educação infantil, mas está propondo aos municípios ações e soluções pedagógicas, de infraestrutura e de manutenção e custeio. Nas áreas de custeio e de manutenção, Raquel contou que está propondo ao Ministério da Educação várias formas alternativas que garantam a oferta porque uma criança na creche custa R$ 2.503,00 por mês, mas os municípios só recebem R$251,00 do Fundeb.

Raquel Teixeira também apresentou os arranjos da captação de recursos. Segundo ela já foram captados R$ 1,5 milhão do governo federal, que serão aplicados nas seguintes ações: 1° Seminário Internacional de Educação Infantil de Goiás, previsto para julho de 2017, produção do Livro “Educação Infantil em Diferentes Contextos”, formação de mais de 100 profissionais da Educação Infantil de 52 municípios, e aquisição de equipamentos pedagógicos para a educação infantil.

O presidente da Agência Goiana de Habitação (Agehab), Luiz Stival, afirmou que, em conjunto com a Seduce, discutirá estratégias para a construção de creches ou a ampliação das unidades existentes. Dos 39 municípios cotados para receber os Cmeis, cinco já manifestaram interesse. Ele também parabenizou Raquel Teixeira pela forma atuante na busca pelo avanço educacional do Estado.

Escola Conectada

Já o presidente da companhia de Desenvolvimento Econômico (Codego), Júlio Cesar Vaz de Melo, citou a parceria com a Seduce no projeto Escola Conectada, que atenderá os 246 municípios, levando internet de alta velocidade inicialmente 15 full MPLS.

MPLS é uma internet dedicada com a velocidade garantida exclusiva para a Educação. Hoje as escolas usam em sua maioria ADSL, que é uma velocidade comum, a mesma que é oferecida para residências. Serão atendidos, a princípio, os municípios focais.

Em parceria com a Seduce, a Codego também está ativando as fibras óticas da antiga Celg Telecom, que transmitirão dados a 50 Megas para cada escola, dentro de um projeto que abrange 81 municípios até 2018. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)