16 de julho de 2018 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Tiroteio e tumulto
05/01/2018 | 09h45
Nova rebelião acontece no complexo prisional de Aparecida de Goiânia
Na manhã de hoje (5), o motim ocorreu na Penitenciária Odenir Guimarães (POG). Ontem, a desordem foi na Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto de Aparecida. Não há informações de mortos

Atualizada as 10h00

* Kamilla Lemes 

Por volta de 4h30 da manhã desta sexta-feira (5), um novo motim ocorreu, desta vez, na Penitenciária Odenir Guimarães (POG), também em Aparecida de Goiânia. Uma arma de fogo foi apreendida. 

Presos do regime fechado começaram as movimentações e agentes penitenciários dispararam diversas vezes na ação. 

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar (CBM) foram acionadas e estão na porta do complexo para vistoriar possíveis focos de incêndios dentro do presídio, que teriam sido provocados por presidiários. De acordo com a Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (Dgap), a situação foi controlada rapidamente pelos policiais.

No início da noite de ontem (4) a desordem ocorreu na Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto de Aparecida. Um vídeo gravado por um internauta mostrou a movimentação na porta do presídio. No áudio, o homem relata que não conseguia chegar próximo a área e vários tiros puderam ser ouvidos. Várias viaturas estavam paradas às margens da BR-153.

Equipes da Polícia Militar, Rotam, Choque e o Grupo de Radiopatrulha Aérea (Graer) acalmaram  a situação. Segundo informações preliminares, presos da Ala C ocasionaram o novo motim. Por volta das 2h00 da manhã de hoje, tudo foi controlado e nenhuma das ocorrências, houve informações de mortos,feridos ou reféns  

O início

Na última segunda-feira (1°), a confusão deixou nove presos mortos. As vítimas foram carbonizadas. Outras cinco foram resgatadas pela equipe do Corpo de Bombeiros Militar (CBM). Além disso, 99 presidiários ainda seguem foragidos.

Na quarta-feira, a ministra do Supremo Tribunal Federal (STF), Carmem Lúcia determinou o prazo de 48 horas, para que fosse realizada uma vistoria emergencial no local. O objetivo foi verificar a situação estrutural do presídio e se haveria condições para a continuidade do cumprimento de pena naquele estabelecimento.

Ontem, o governador de Goiás, Marconi Perillo divulgou nota à imprensa:

O Governo de Goiás confirma que, no início da noite desta quinta-feira (4), houve uma tentativa de invasão de presos da ala C nas alas A, B e D da Colônia Agroindustrial do Regime Semiaberto, no Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia.

O serviço de inteligência policial da SSP já monitorava a ação dos presos e a tentativa de rebelião foi rapidamente controlada.

Não houve mortes nem feridos. Uma fuga foi registrada.

Houve tentativa de explosão de uma granada e troca de tiros, mas as forças policiais agiram de forma enérgica para conter a situação. 

Vale lembrar que uma vistoria foi realizada na unidade na quarta-feira (3). 

A Polícia Civil já está com as investigações em estágio avançado na apuração dos fatos que ocasionam tumultos no presídio nos últimos dias. 

O Governo de Goiás destaca a eficiência do serviço de Inteligência, bem como a ação das forças policiais que conseguiram acabar com o tumulto rapidamente.

Governo do Estado de Goiás 

*Kamilla Lemes faz parte do programa de estágio do Jornal O Hoje, sob supervisão de Naiara Gonçalves

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)