17 de dezembro de 2018 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Saúde mental
12/01/2018 | 16h41
Campanha Janeiro Branco chega a hospitais da Região Sudoeste de Goiás
Ações são voltadas a prevenir e combater transtornos de saúde mental na comunidade hospitalar

Com taxas crescentes de estresse, ansiedade, depressão, esquizofrenia e hiperatividade no Brasil, psicólogos, profissionais de saúde e das ciências sociais tem cada vez mais convicção de que isso tem relação ao estilo de vida das pessoas, especialmente em grandes cidades. Mesmo com tentativas de tornar os cuidados com a saúde mais intensivos, pouco se fala sobre a saúde mental. Diante deste quadro, o Hospital Estadual de Urgência da Região Sudoeste (HURSO), em Santa Helena, interior do Estado, promove uma programação voltada para o Janeiro Branco, campanha que discutirá e colocará em prática ações relacionadas à saúde mental e emocional da população.

Uma das ações promovidas pelo HURSO abre espaço para que os pacientes se comuniquem e exponham sentimentos, dramas e questões de motivação. As mensagens serão postadas anonimamente no quadro de avisos da Unidade, entre os dias 15 e 19 de janeiro. Depois disso, os textos comporão um painel que servirá de base para que o tema seja posto em debate, contando com a participação de um convidado.

As ações acontecem em 3 datas diferentes, entre os dias 15 e 23 de janeiro, e tem a coordenação de grupos da própria instituição. O objetivo é fortalecer as políticas de esclarecimento e prevenção às patologias mentais, tornando a comunidade mais consciente e segura em relação aos riscos de transtornos como este. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)