22 de janeiro de 2018 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Presídios
12/01/2018 | 19h32
Unidades prisionais de Formosa e Anápolis vão consolidar modernização do sistema
Somente em Formosa, mais de R$ 19 milhões foram investidos. Unidades devem ser entregues ainda em janeiro deste ano

As unidades prisionais de Formosa e Anápolis serão entregues pelo governador Marconi Perillo, respectivamente, neste e no próximo mês. Elas acompanham o que há de mais moderno em engenharia e arquitetura de presídios no País e vão consolidar a modernização do sistema goiano, que deverá servir de modelo em todo o Brasil.

A robustez das unidades, a alta tecnologia utilizada e o modelo de estrutura obedecem à determinação do governador Marconi para que os novos presídios sejam altamente modernos. Ambos estão com as obras concluídas, faltando apenas alguns retoques e a finalização do aparelhamento.

Em Formosa, mais de R$ 19 milhões foram investidos. O presídio tem seis mil metros quadrados de área edificada, refeitório, sala de aula, pátio de sol, área para atendimento psicológico e espiritual, além de galpões e guaritas de segurança. Ao todo, são 300 novas vagas. A unidade será entregue ainda este mês.

Já em Anápolis, cujo presídio contará com a mesma estrutura do de Formosa, os investimentos também somam R$ 19 milhões, provenientes de parceria entre o governo federal e do Estado, e mais R$ 6,5 milhões em aparelhamento e custeio.

“Os presídios de Formosa e Anápolis e os outros três que estão sendo construídos em Águas Lindas, Novo Gama e Planaltina, que também serão entregues este ano, são robustos e modernos. Juntos, serão responsáveis pela oferta de 1.588 novas vagas”, observa o governador. Atendendo à determinação dele, o Governo do Estado entregará os presídios de Águas Lindas e Novo Gama, em agosto, e o de Planaltina, em novembro.

Números

Nos últimos quatro anos, o governo aumentou em 60,25% os investimentos no sistema prisional. O montante a mais aplicado nesse período foi de R$ 138 milhões. Os recursos foram sendo elevados gradualmente. Em 2014, o Estado investiu R$ 312 milhões nos presídios. Em 2015, os investimentos passaram para R$ 338 milhões. Um ano depois, foram aplicados mais R$ 391 milhões e, em 2017, o volume de recursos destinados aos presídios goianos saltou para R$ 501 milhões.

O aumento do efetivo de agentes prisionais também teve participação significativa no volume de investimentos. Só no último ano, a quantidade de agentes prisionais efetivos saltou de 748 para 1.587 profissionais.

Moderno

De acordo com o gerente de engenharia da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária de Goiás, Marcos Patury, a estrutura das novas unidades prisionais segue o que há de mais moderno no país em engenharia e arquitetura de presídios.

“Temos uma estrutura contemporânea e que é modelo para todos os presídios que estão sendo construídos em Goiás. Aliada ao novo padrão de operação dos complexos, vai permitir aos agentes prisionais maior controle sobre o detento, além de todo tipo de atividade no local”, afirma. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)