15 de agosto de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Região Norte de Goiás
12/02/2018 | 10h30
Ministério Público faz busca e apreensão na Câmara de Mutunópolis
A ação faz parte de um processo que investiga possível prática de atos de improbidade administrativa por parte do atual presidente da Casa de Leis, vereador Tharles Eloisio Leonel

Em cumprimento a mandado de Busca e Apreensão, diversos documentos e computadores foram apreendidos pelo Ministério Público da Comarca de Estrela do Norte na sexta-feira (2) na Câmara Municipal de Mutunópolis. A ordem cumprida pela promotora Daniela Haun, acompanhada por servidores do MP, foi expedida pelo juiz Andrey Máximo Formiga. A ação que teve o apoio da Polícia Militar faz parte de um processo que investiga possível prática de atos de improbidade administrativa por parte do atual presidente da Casa de Leis, vereador Tharles Eloisio Leonel.

No pedido feito ao Poder Judiciário, a promotora Daniela relata que representação protocolada no MP culminou na abertura de um procedimento investigativo em desfavor do presidente da Câmara e que na investigação ficou constatado que Tharles Eloisio teria assinado alguns cheques da Câmara Municipal sem a devida autorização e utilizado os recursos de forma indevida e divergente dos do interesse público.

Ainda segundo a promotora, o presidente Tharles Leonel teria ainda falsificado a assinatura do vereador e tesoureiro Carlito e até emitido um cheque, no valor de R$ 7 mil, com a finalidade de garantir empréstimo pessoal em um estabelecimento comercial. O MP investiga ainda denúncia de que o investigado estaria movimentando a conta bancária da Câmara Municipal em benefício próprio.

Tais denúncias de irregularidades por ato de improbidade administrativa resultaram em pedido de instalação de uma CEI - Comissão Especial de Inquérito na Câmara. A pauta foi colocada em votação no dia 2 deste mês, porém o referido requerimento foi rejeitado por 4 votos contra 3 o que na opinião do Ministério Público pode caracterizar apoio políticos de parte da bancada legislativa ao presidente.

De posse do material apreendido, a promotora Daniela Haun fará análise das provas e somente então depois irá definir as próximas medidas judiciais.

 Fonte: Diário do Norte. Foto: Reprodução
Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)