25 de maio de 2018 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Praça Cívica
12/02/2018 | 13h50
Conselho Tutelar encontra crianças dormindo entre freezers em festa de Carnaval
Também foram flagrados adolescentes comprando bebidas alcoólicas. Organização do evento alegou que avisos de proibição de venda de álcool para menores foram colocados por todo o evento

Durante a festa de carnaval da Praça Cívica que ocorreu na noite de domingo (11), em Goiânia, o Conselho Tutelar flagrou diversas situações que ferem os direitos das crianças e adolescentes. Foram encontrados pais embriagados ao lado de filhos pequenos, adolescentes comprando bebida alcoólica e também crianças com menos de três anos dormindo entre freezers.

Ainda de acordo com o Conselho Tutelar, dezenas de jovens estavam consumindo bebida, sendo que até situações de coma alcoólico foram encontradas. O órgão também informou que não foi avisado da folia. O Juizado da Infância e da Juventude autuou o bloco “Cai na Rua”, responsáveis pela festa.

A organização do evento tinha a autorização da Agência Municipal de Meio Ambiente (AMMA) e disse em nota que não obtiveram resposta do Juizado de Menores e que o Conselho Tutelar não recebeu a documentação para retirada dos alvarás necessários alegando que não havia mais tempo. Contudo, o órgão disse que compareceria para ajudar no evento. Segundo o bloco “Cai na Rua”, as conversas ocorreram por telefone.

Os pais receberam orientações para voltar com seus filhos para casa e comparecer ao Conselho Tutelar durante a semana para explicarem as situações. A Guarda Civil Metropolitana também informou que não foi comunicada oficialmente da festa, mas que esteve no local para dar apoio aos conselheiros.

O bloco “Cai na Rua” alegou que foram colocados avisos de proibição do comércio de bebidas alcoólicas para menores em todo o evento, assim como houve a contratação de seguranças particulares para fazer revista na entrada e impedir que o público adentrasse com bebidas. 

Com informações do G1. (Foto: Divulgação/Conselho Tutelar)

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)