19 de setembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Reclamações
14/03/2018 | 06h00
Obras vão demorar 6 meses
Paralisação do trânsito na Avenida São Paulo afeta comerciantes que reclamam da falta de informação e demora

Gabriel Araújo*


As obras na Avenida São Paulo, em Aparecida de Goiânia, já causam reclamações antes mesmo do início. Empresários da região temem que paralisação total do tráfego de veículos possa prejudicar o comércio e diminuir ainda mais a rentabilidade. Na última quinta-feira (8) a Secretaria de Mobilidade e Defesa Social do município iniciou a paralisação parcial da avenida para as obras de preparação da implantação de uma trincheira no local. Homens da Companhia Saneamento de Goiás (Saneago) trabalham para a retirada de uma tubulação em local próximo da obra principal.

O secretário de Mobilidade Urbana, Luziano da Costa Vale, explica que o início da obra está previsto para o próximo mês e que o desvio atual é apenas para motoristas que seguem no sentido BR-153. “Os motoristas que desejam se dirigir sentido BR-153 deverão seguir as placas e desviar pelas avenidas Rio Verde e Brasília até poder retornar à Avenida São Paulo”, afirmou.

O empresário Orci Francisco da Silva trabalha com a venda de veículos há cerca de 27 anos na região e não acredita que as obras terminem em menos de um ano. “Acho que vai pelo menos um ano ai, só espero que não se torne um BRT como no Pedro Ludovico, em Goiânia”, lembrou. 

Da Silva ainda se preocupa com a queda nas vendas, já que a paralisação vai impedir a chega de carros. “A obra já gerou a saída de empresas daqui, não tem como trabalhar sem ter cliente. Acho que seria melhor fazer por etapas, primeiro um lado e depois o outro”, concluiu.

Outra empresária, que decidiu não se identificar, trabalha com a venda de alimentos próximo ao local da obra e afirmou que não conseguiu informações concretas sobre as ações. “Um fiscal vem e fala uma coisa e aparece outro falando algo completamente diferente”, disse.


Obras

De acordo com a Secretaria de Desenvolvimento Urbano de Aparecida de Goiânia, a primeira fase da obra, iniciada no último mês de janeiro, consiste na remoção das árvores do canteiro central, pela própria secretaria, e no recuo dos postes pela Enel Distribuição Goiás (Enel) para a ampliação da via. A reportagem de O Hoje visitou o local das obras e confirmou que as ações da primeira fase ainda não estão completas, as árvores do canteiro central ainda não foram totalmente retiradas e os postes ainda estão com fiação em funcionamento. 

A segunda fase consiste justamente no fechamento da via para a construção da trincheira. A previsão é de início no próximo mês, logo após o fim da primeira fase, e de término em seis meses. O secretário ainda afirma que as obras estão previstas para terminarem até outubro deste ano, seis meses após o início. “Temos a intenção de realizar toda a obra durante período de estiagem para evitar o aumento dos transtornos que normalmente ocorrem no período chuvoso”, pontuou.

A região é uma importante via de ligação entre as principais áreas de Aparecida e vem sofrendo com constantes congestionamentos. Para o secretário de Infraestrutura do município, Mário Vilela, a obra busca melhorar o fluxo de veículos na região, diminuindo assim os transtornos causados pelo trânsito. “Esta obra tem o intuito de resolver um dos principais gargalos do trânsito da Região Metropolitana, liberando o tráfego da Avenida São Paulo, que é uma das principais avenidas da Grande Goiânia”, completou.

A obra deve custar ao Poder Público pouco mais de R$ 13 milhões que devem vir do Tesouro Nacional. O projeto ainda prevê a implantação de um sistema de drenagem e captação da água das chuvas, além da construção de vias de acesso no entorno do viaduto. (*Gabriel Araújo é estagiário do jornal O Hoje sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian). 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)