22 de junho de 2018 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Saneago
24/05/2018 | 15h45
Dois homens morrem soterrados enquanto trabalhavam em uma adutora
Eles foram encobertos por um grande volume de terra a mais de 4 metros de profundidade. As causas do acidente ainda não foram divulgadas

Notícia atualizada em 17h49

Dois homens morreram soterrados no início da tarde desta quinta-feira (24) enquanto trabalhavam numa adutora, com cerca de 4 metros de profundidade.

Apesar da obra ser de responsabilidade da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), o acidente ocorreu próximo a Usina Xavantes, localizada na Vila Atalaia, em Goiânia, saída para Nova Veneza.

Foi usada uma retroescavadeira para retirar a quantidade de terra que encobriu as duas vítimas. Mesmo com o empenho da equipe do Corpo de Bombeiros, que deslocou 18 membros divididos em duas ambulâncias, um helicóptero e um caminhão, os dois trabalhadores não foram encontrados com vida.

As causas do acidente ainda não foram divulgadas. 

A Saneago divulgou uma nota sobre o episódio:

É com muito pesar que confirmamos o falecimento dos colegas Guilherme Henrique Costa e Silva, 24 anos, e Marneison Janhan de Souza, 35, na tarde desta quinta-feira, 24 de maio. Os dois eram Agentes de Sistema e estavam lotados na Superintendência de Obras. Marneison trabalhava na Saneago desde março de 2016 e Guilherme, desde o dia 05 de março de 2018.
O acidente aconteceu por volta das 13h de hoje. As causas ainda estão sendo apuradas e a Companhia está prestando toda a assistência necessária para os familiares neste momento de tamanha dor para todos nós. 
Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)