19 de setembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Cuidados
12/07/2018 | 06h00
Maioria dos afogamentos em Goiás ocorre em rios
Só neste mês já foram duas ocorrências registradas no Estado

Raunner Vinícius Soares*


Corpo de Bombeiros Militar de Goiás registra 27 casos de afogamentos em todo o Estado neste ano. Neste mês a corporação atendeu a duas ocorrências, já no mesmo período de 2017, foram registradas cinco ocorrências. Até o mês de julho, do ano passado, foram registrados cerca de 34 casos de um total de 59 em todo o ano. A grande a maioria dos ocorrido são registrados em rios, em todo Estado são 19 cursos de água. Sendo um refugio para os guianenses em feriados prolongados e mês de férias escolares como julho, final de dezembro, e no ano novo.

Na segunda-feira (9), um homem se afogou no Rio Paranaíba, no município de Gouvelândia, a cerca de 45 quilômetros de Quirinópolis, no Sul Goiano. De acordo com o Corpo de Bombeiros, as buscas pelo corpo completaram 24 horas na tarde desta terça-feira (10). Equipes de mergulhadores do Corpo de Bombeiros de Quirinópolis fazem buscas no local para tentar localizar a vítima. De acordo com o tenente, a profundidade do rio e o clima da região prejudicam as buscas.

Segundo o Corpo de Bombeiros, o homem,  Iron Cabral de Souza, de 59 anos, estava em seu racho com a família quando saiu para pescar no rio. Ele pegou uma canoa, foi até uma balsa onde amarrou a embarcação e iniciou a pescaria. Em um determinado momento, a canoa teria se soltado e a correnteza começou a arrastá-la, momento em que ele entrou no rio para puxar o barco. Familiares que estavam no local relataram para a corporação que a vítima estava de colete salva-vidas, que foi encontrado flutuando sobre a água. 


Piscina

Na última terça-feira (10), uma menina de dois anos se afogou na piscina da casa do vizinho e o Corpo de Bombeiros fez procedimentos de reanimação durante 1 hora até que a mesma voltasse a responder aos estímulos. O afogamento aconteceu em Cristalina, no Entorno de Brasília, por volta das 20h30, no Setor Marajó. A criança saiu de casa sem sua mãe perceber e foi até o vizinho, onde caiu na água. 

Equipes do Corpo de Bombeiros do Distrito Federal se deslocaram até o local para tentar reanimar a criança. Ao todo foram enviadas três ambulâncias e um helicóptero. As equipes se revezaram durante uma hora para fazer procedimentos de reanimação cardiorrespiratória na criança. Quando ela começou a apresentar melhoras, voltando a respirar, ela foi encaminhada para o hospital.

O número de mortes por afogamento dobrou no feriado da Semana Santa neste ano em Goiás quando comparado ao mesmo período do ano passado, de acordo com o Corpo de Bombeiros. Foram registrados oito casos em 2018, contra quatro no período do ano passado. Um dos casos foi registrado domingo da semana santa, quando um homem de 52 anos morreu em um lago do Residencial Campos Dourados, em Aragoiânia. De acordo com testemunhas, Altair Gonçalves Pereira estava em um barco pequeno, que virou. Ele teria tentado nadar para rebocar o veículo, mas acabou se afogando. (Raunner Vinícius Soares é estagiário do jornal O Hoje sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian) 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)