15 de dezembro de 2018 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Violência
17/07/2018 | 13h10
Menina de três anos é morta por vizinho, em Niquelândia
A criança foi encontra ainda com vida em um matagal da cidade. Ela estava seminua e tinha lesões na cabeça e nas partes íntimas. A vítima foi socorrida, porém não resistiu aos ferimentos e faleceu

Katrine Fernandes* informações atualizadas em 14:46 para inclusão da fala do delegado responsável pelo caso.

Amanda Vitória Soares de Araújo de três anos morreu após ser espancada e abusada por um menor não identificado, de 15 anos, na cidade de Niquelândia, região norte de Goiás. Segundo a Polícia Civil, o adolescente que era vizinho da vítima, confessou ter matado a criança em depoimento prestado na manhã desta terça-feira (17).

Ainda segundo a corporação, a vítima foi encontrada em um matagal que fica nos fundos da casa. Ela estava seminua, tinha lesões na cabeça e sinais de estupro. Ainda conforme o comunicado, o menor admitiu à polícia que agiu sem nenhum motivo e que, de repente, a matou. A garota foi atingida com golpes na cabeça com uma pedra de mais de 3 kg. Após as pancadas, ele confessou ter a violentado, mas negou ter mantido relação sexual com a vítima.

Segundo o delegado Bernardo Comunale, responsável pelo caso, o menor, que revelou ter cometido o ato infracional, apresenta "traços de psicopatia" e não demonstrou arrependimento.

"Nenhum [remorso ou arrependimento]. Acho até, me arriscando aqui e invadindo a área dos especialistas, [que ele tem] alguns traços de psicopatia. Sem remorso, não demonstra emoção, seco nas respostas. Respostas evasivas, sim, não. Difícil extrair até uma história concatenada dele. Ele não demonstra emoção, sentimento, nada", afirma. 

O adolescente acreditou que a Amanda havia morrido após os golpes. Ele contou que tinha como intuito se desfazer o corpo em uma barragem próxima, mas não conseguiu pôr o plano em prática.  

Ainda em depoimento, o jovem contou que pegou a menina na casa dela aproveitando-se de um curto momento em que a mãe da criança havia ido a casa da sogra, situada no mesmo lote.

Contra ele, será lavrado Auto de Apreensão em Flagrante pelo ato infracional análogo ao crime de estupro de vulnerável. Se condenado, pode cumprir no máximo 3 anos de medida sócio educativa.

O menor já possui passagens por furto e receptação. Também era usuário de drogas e ficou internado em uma clínica de reabilitação em Goiânia entre novembro do ano passado e o último mês de abril. Ele usava medicamento controlado, mas os pais não souberam informar qual o nome do remédio. 

Resgate

A mãe da menina entrou em contato com o corpo de bombeiros por volta das 19h45 da última segunda feira (16). Segundo os agentes que foram acionados a mulher alegou na ligação que a filha havia sumido e que um vizinho a viu entrando no matagal.

A corporação fez buscas e encontrou a garota ainda com vida. Ela foi levada para o Hospital Municipal de Niquelândia. Porém, não restitui aos ferimentos e morreu por volta de 21h45.

De acordo com informações da ocorrência policial, a criança foi achada de bruços e vestindo apenas uma camiseta branca. Ela tinha um corte na orelha e sangramento na cabeça e nas partes íntimas.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que a mãe da vítima suspeitou do vizinho porque, ao mesmo tempo em que procurava pela filha, a mãe do rapaz fazia o mesmo em relação ao garoto.

Ele apresentava escoriações nos joelhos e nos cotovelos, além de arranhões nas pernas similares aos provocados quando se caminham em regiões de mata.

 
Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)