15 de outubro de 2018 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cidades
Projeto
09/08/2018 | 15h40
Corrente do bem ajuda um abrigo por mês em Goiânia
Amigos organizaram campanha pela internet e, em quatro meses, quase mil cães e gatos foram beneficiados graças a projeto

Da Redação

Que os cães são os verdadeiros amigos do homem, todo mundo sabe. Mas um grupo de jovens de Goiânia decidiu fazer sua parte e mostrar que os homens também podem ser grandes amigos dos bichinhos de quatro patas. As visitas e doações a abrigos de animais que já eram rotineiras na vida de Arthur Matos, Linca Brasil e Marcela Vilela ganharam uma forcinha especial de alguns amigos depois de uma decisão inusitada.

"Quando fui convidar algumas pessoas para comemorar meu aniversário, me dei conta da quantidade de coisas que eu já tinha e que eu não precisava ganhar presentes dos meus amigos, mas que eu poderia envolve-los em algo muito maior", explica o engenheiro eletricista Arthur Matos, ao contar que sugeriu aos convidados que o presenteassem com ração, ao invés de objetos pessoais. Foi assim que surgiu o projeto "Um abrigo por mês", que seleciona uma instituição por mês na capital para entregar doações, como ração, jornais, fraldas ou dinheiro para cirurgias, por exemplo.

O grande meio de divulgação do projeto foi o perfil de Instagram criado (@um.abrigopormes), onde são apresentados os abrigos a serem ajudados, as necessidades específicas e, após as visitas, mostradas as fotos da entrega. Uma boa forma de atingir aqueles que não sabem como doar ou não têm tempo ou estrutura psicológica para participar das visitas e assistir de perto o abandono. "Fazemos questão de publicar a prestação de contas e convidar as pessoas a sugerirem novos abrigos e se envolverem no projeto", conta Arthur. Todos podem ajudar, seja com doações em dinheiro ou objetos, seja durante as entregas, onde podem conhecer os animais e oferecer, além dos mantimentos, carinho e atenção.

Arthur sempre teve cachorros em casa e viu no projeto uma oportunidade de fazer o bem àqueles abandonados e esquecidos por seus donos. "Eles são os bichinhos mais amorosos que existem e só querem amor. Sempre que eu via um cachorro precisando de ajuda, me doía o coração. Eles não podem fazer nada pra resolver o problema, mas a gente pode. Eles precisam de amor e carinho, mas também de comida."

Doações

Em média, são arrecadados de 100 a 200 quilogramas de ração, o suficiente para três ou quatro dias em um abrigo com 200 cães. Arthur destaca que a quantidade ainda não é o suficiente. "Fazemos um trabalho de formiguinha. Aos poucos, novas pessoas se interessam e começam a ajudar".

Os abrigos beneficiados são escolhidos aleatoriamente com base em indicações, independente do tamanho. Já as rações são compradas em grande quantidade em pet shops parceiros, o que garante uma maior economia. As doações podem ser feitas por depósito bancário ou são buscadas pelos organizadores do projeto e entregues nos dias das visitas, que ocorrem nos finais de semana. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)