Quarta-feira, 20 de novembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cidades

Com frota sucateada, Eixo Anhanguera será mantido em Trindade, Goianira e Canedo

Postado em: 26-06-2019 às 06h00
Governo recua no encerramento das extensões do Eixo para as cidades de Trindade, Goianira e Senador Canedo

Igor Caldas

Especial para O Hoje

Repercussão negativa sobre o pedido da Metrobus à Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) para não operar mais as extensões do Eixo Anhanguera em Senador Canedo, Trindade e Goianira fez com que o governador Ronaldo Caiado declarasse, por meio da Secretaria de Comunicação do Estado, que não autorizou o desligamento das linhas e que a empresa “se precipitou” no envio da solicitação.

A nota afirma que, em momento algum, o governador autorizou a retirada das linhas da Metrobus das extensões do Eixo Anhanguera e que não há, com isso, motivos de preocupação para a população das regiões de Goianira, Trindade e Senador Canedo em relação ao assunto, uma vez que não haverá cortes de linhas atendidas pela Metrobus nestas localidades.

O posicionamento do Palácio das Esmeraldas veio após afirmações do presidente da Metrobus, Paulo César Reis de acabar com o benefício de extensões do Eixo Anhanguera até os municípios de Trindade, Goianira e Senador Canedo. A reportagem questionou a Metrobus, sobre as últimas declarações do governador, mas a empresa afirmou que não ia se manifestar sobre o assunto.

O prefeito de Trindade e presidente da Câmara Deliberativa de Transporte de Coletivo (CDTC), Jânio Darrot comemorou a decisão. Para ele, o fim das extensões do Eixo Anhanguera até o seu município, Senador Canedo, por exemplo, seria um “grave retrocesso” no sistema, com prejuízos diretos a mais de 220 mil usuários do transporte coletivo.

“Estamos aliviados porque essa medida seria um retrocesso. O governador desautorizou que a Metrobus desse prosseguimento a essa tentativa de encerrar os trabalhos e a população de Trindade está mais tranquila. Temos em torno de 30 mil passageiros por dia que utilizam o Eixo Anhanguera nessas três cidades. Seria um impacto muito grande, um transtorno gravíssimo. Estamos felizes, governador tenha tomado essa decisão”, afirma Jânio.

De acordo com o presidente da CDTC, a Metrobus decidiu fazer a solicitação de encerrar os trabalhos nas cidades conurbadas com Goiânia porque a empresa alega que está tendo défcit com a manutenção desses trechos. “Segundo o presidente da Metrobus, as linhas das extensões do eixo se tornou deficitário, mas nós não concordamos com isso. Há discordância entre empresas sobre distribuição da arrecadação. Mas é o caso de sentar e negociar isso aí”, destaca Darrot.

Além disso, o Prefeito de Trindade afirma que a Metrobus está tomando essas decisões pensando exclusivamente no lucro e não em sua função social. “Todo transporte público tem que pensar em um subsidio. A lucratividade não é o objetivo. Ela tem que cumprir sua função social. Usuários das pontas do Eixo usam esse transporte para ir trabalhar e voltar para casa. É a população que mais fica prejudicada nessas decisões.


 Viagens continuam inseguras e lotadas 

A população que necessita de utilizar o Eixo Anhanguera nestas regiões ficou apreensiva com as notícias do encerramento do serviço. Daniele Araújo precisa pegar ônibus no Eixo Anhanguera todos os dias para ir trabalhar em um supermercado que fica às margens da GO-060. Ela afirma que a maior parte dos funcionários do mercado ficou preocupada. No entanto, Daniele afirma que apesar da continuidade dos serviços, os problemas do Eixo Anhanguera ainda são latentes.

“Fico feliz que o transporte vai continuar, mas até hoje não teve melhora nenhuma no serviço. O atraso é recorrente e à noite, além de ser perigoso, demora mais ainda. Aqui também não tem travessia para o outro lado da rodovia. Todos os dias as meninas que trabalham comigo ficam correndo perigo, passando de um lado pro outro. Os ônibus estão sucateados e lotados como sempre”, afirma Daniele.

A reportagem foi até Trindade e confirmou a situação do sucateamento dos veículos do Eixo Anhanguera na região. Foi flagrado um ônibus fora de serviço, quebrado e esperando manutenção da Metrobus para voltar a circular. Além dos problemas de sucateamento e atrasos, usuários também relatam insegurança dentro dos veículos da Metrobus que fazem a linha do Eixo Anhanguera.

A estudante Miriam Ribeiro usa o Eixo todos os dias para estudar. Ela relata atrasos nas linhas e sentimento de insegurança. “Tem demorado bastante e está passando muitos ônibus que vão reto para Goiânia e não passam pelo Vera Cruz. Sempre sinto medo de ser roubada porque o ônibus sempre está lotado”, afirma.

Colega de Miriam, Flávio Rogério afirma que sua mãe já sofreu uma tentativa de assalto dentro de um veículo da Metrobus no Eixo Anhanguera na linha que faz o transporte de Trindade para Goiânia. “O sentimento de insegurança é total. Tentaram roubar a minha mãe dentro do ônibus com uma faca, mas ninguém fez nada. O motorista teve que parar o ônibus e expulsar o assaltante para a viagem poder continuar”, relata o estudante.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar