Domingo, 15 de setembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cidades

Pilates: conheça benefícios da prática

Postado em: 17-08-2019 às 06h00
Os exercícios do método promovem inúmeros benefícios e podem ser feitos por pessoas de todas as idades. Foto: Daniell Alves

Daniell Alves

O pilates é um exercício que vem conquistando espaço nas academias de Goiânia. Há inúmeros locais na Capital destinados à prática do método que une o corpo e a mente para proporcionar bem-estar e qualidade de vida aos praticantes. De acordo com levantamento da fabricante de equipamentos para a modalidade MetaLife, estima-se que, atualmente, existam cerca de 45 mil estúdios dedicados à prática espalhados pelo país.


Criada pelo alemão Joseph Hubertus Pilates, por volta de 1900, a técnica oferece diversos benefícios e atendem necessidades de públicos bem distintos, como atletas, bailarinos, idosos, gestantes e pessoas em reabilitação.


A professora Fabiana Valadão tinha muita curiosidade sobre o pilates e decidiu fazer uma aula experimental. Mesmo treinando outros tipos de exercícios, ela só conseguiu se encontrar, realmente, depois que conheceu o método. “Comecei a sentir prazer, se dependesse de mim eu faria todos os dias”, diz ela, que conta ter sentido diferença na primeira hora de atividade.


Além da melhora que o exercício proporciona à mente, ele também contribui com a disposição e força de quem o pratica. “Eu senti que a minha postura ficou diferente. Também me deixou mais disposta na hora de cuidar dos meus filhos, que ainda são pequenos. É um projeto de vida que não pretendo deixar nunca mais”, enfatiza Fabiana.


A instrutora Mariana Mayumi possui um Estúdio de Pilates em Goiânia, juntamente com a sócia Ana Paula Elias. Ambas são educadoras físicas e instrutoras de pilates no espaço Vivare Pilates. Mariana conta que começou como aluna do exercício e, hoje, atende cerca de cinco alunos por dia em seu próprio espaço.


Após participar de um workshop, ela se apaixonou pela atividade. “Iniciei ministrando aulas e, no ano seguinte, fiz minha certificação no método, passando a ter contato com os aparelhos”, conta. Ao passar dos anos, o exercício se tornou prioridade na vida de Mariana. Ela destaca que muitos alunos já sentem uma melhora na primeira aula, principalmente quando se trata do alívio de dores.


Os benefícios iniciais, de acordo com a instrutora, são a melhora na mobilidade, flexibilidade e bem-estar durante o sono – principalmente por causa da respiração. Em longo prazo há também o ganho de força, equilíbrio, coordenação motora e consciência corporal. Desse modo, ocorre evolução de movimentos simples para os considerados mais complexos, explica a ela. Os exercícios são trabalhados de acordo com as necessidades de cada aluno. Então, as reações corporais variam de pessoa para pessoa.


A educadora física Ana Paula acrescenta que os alunos devem ser avaliados de forma individual. “Costumo dizer que não existe uma receita pronta, já que os exercícios são as ferramentas e o aluno é o protocolo. Usamos as ferramentas respeitando o corpo de cada um. No Vivare Pilates, mesmo o cliente estando inserido em grupo seu treino é individualizado”, enfatiza.


Equilíbrio


Uma revisão de estudos, publicada na Revista Brasileira de Atividade Física e Saúde mostra que as aulas de pilates são capazes de apurar o equilíbrio dos mais velhos, algo fundamental para evitar quedas e fraturas — que se tornam cada vez mais graves com o passar da idade.


Para evitar estes tipos de acidentes é importante cuidar da saúde. E o pilates contribui para isso. A instrutora Mariana conta que já atendeu alunos com mais de 80 anos e, sem dúvidas, o exercício auxilia no equilíbrio destes indivíduos. “A gente tenta trabalhar esses desequilíbrios de uma forma mais dinâmica, que facilite a rotina das pessoas da terceira idade”, explica ela.



Coluna
“Quando passamos muito tempo sentado prejudicamos nossa coluna. O pilates trabalha alongamento e fortalecimento de todos os músculos, o que - consequentemente - diminui as dores”, afirma Mariana.
Como aconteceu com o aluno Anderson Macena, que viu a necessidade de aderir ao pilates após sentir fortes dores na coluna. Depois de um mês de treinos, os resultados imediatos fizeram com que começasse a praticar o método duas vezes na semana. “As dores que eu sentia nas costas não existem mais. O pilates é fundamental para conhecimento do próprio corpo”, afirma ele. Além do pilates, para ganhar ainda mais força, ele pratica musculação.
Dentre os benefícios citados pela educadora física Ana Paula está a liberação de hormônios como a endorfina, por exemplo. “Também ocorre a oxigenação e concentração. Ambos são de extrema importância para a mente. A endorfina contribui para o aumento da motivação, bom humor, além de controlar a ansiedade, o estresse e a depressão”, frisa ela.
Sintonia
Como dizia Joseph Pilates fazer pilates “é estar presente, concentrado e não distraído. É a mente que esculpe o corpo”. Os seis princípios do exercício são a respiração, centralização, controle, concentração, precisão e fluidez. Então, através destes elementos ocorre a conexão entre mente e o corpo, onde o movimento bem pensado se torna mais preciso e sem compensações, explica Mariana. “Conhecer o próprio corpo enquanto executa os movimentos não é simplesmente elevar uma perna. O ideal é que o corpo e a mente estejam em sintonia para que este membro se levante de maneira eficiente”, destaca Ana Paula.
Exercício de qualidade
Para Mariana e Ana Paula, o pilates vai além de exercícios físicos. Elas o definem como uma filosofia que, a partir da prática, é possível conquistar qualidade de vida, equilibrando o corpo, mente e espírito.
Uma das metas propostas por elas é fazer com que os alunos entendam a musculatura do próprio corpo. “O pilates consegue habilitar o indivíduo para a prática de quaisquer esportes e de outras atividades. O método permite o fortalecimento dos músculos responsáveis pela base do corpo”, afirma Ana Paula.
“Exercício de qualidade é aquele onde as articulações estão bem alinhadas, as bases fortalecidas e, sobretudo, preparadas para receber sobrecarga. É preciso mobilizar a coluna e fortalecer a musculatura profunda do trono para diminuir as compensações causadas pelos movimentos”, recomenda a instrutora Ana Paula. (Daniell Alves é estagiário do Jornal O Hoje sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian) 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar