Sexta-feira, 20 de setembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cidades

Cresce produção de grãos e faltam armazéns para estocagem em Goiás

Postado em: 11-09-2019 às 07h30
Devido ao crescimento acelerado da produção de grãos, Goiás necessita de novos armazéns para estocar os produtos e mantê-los com qualidade. Foto: reprodução.

Daniell Alves

O Estado está sem armazéns suficientes para estocar a quantidade de grãos produzidos. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o aumento da safra de grãos 2018/19 colocou Goiás em cenário de destaque com produção de 24 milhões de toneladas. Por outro lado, existem apenas 909 armazéns no Estado – capacidade para guardar cerca de 13,5 milhões de toneladas.

Conforme explica o analista técnico do Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária em Goiás (IFAG-GO), Leonardo Machado, a capacidade de armazenamento em Goiás sempre é uma preocupação. “O que a gente tem percebido é que as exportações no Estado têm sido bastante favoráveis, principalmente o milho, fazendo com que os produtos fiquem armazenados por pouco tempo. Temos um processamento muito grande, fazendo com que o gargalo de armazenamento não seja tão prejudicial”, afirma. 

Goiás também é reconhecido como o Estado que apresenta maior crescimento da produção de grãos na Região Centro-Oeste. Houve aumento nas produções de café, cana-de-açúcar, algodão, milho, girassol, sorgo e banana. Já a safra nacional passa de 227,7 milhões para 242,1 milhões de toneladas neste ano.

O destaque para a produção de grãos ficou com o milho 2ª safra, com crescimento de 48,3% no Estado, indo de 6,3 milhões de toneladas na safra 2017/18 para 9,48 milhões de toneladas na safra 2018/19. Também está em alta a produção de girassol (crescimento de 55,4%, passando de 24 mil toneladas para 37,3 mil toneladas) e de sorgo (crescimento de 39,4%, passando de 710,5 mil toneladas para 990,4 mil toneladas).

Leonardo explica que esse crescimento foi devido, também, às condições climáticas deste ano, que elevou a produtividade. “Vale salientar que os produtores utilizaram mais tecnologias e, consequentemente, tiveram o resultado de aumento na produção”, comenta.

Em relação à produtividade da área plantada da safra de grãos, houve crescimento de 6,8% da área plantada no Estado, que passou de 5,3 milhões de hectares para 5,6 milhões de hectares de uma safra para outra, e Goiás apresentou ganhos de produtividade de 8,3% (4,0 quilos por hectare, na safra 2017/18 para 4,3 quilos por hectares, na safra 2018/19) – maior produtividade entre os estados da Região Centro-Oeste.

Produção de algodão aumenta 35%

De acordo com a Conab, a produção brasileira de algodão também teve acréscimo e a estimativa para a safra 2018/19 é de aumento de 35,9% em relação ao produzido na safra anterior. A produção nacional foi equivalente a 4,1 milhões de toneladas de caroço de algodão e 2,7 milhões de algodão em pluma.

Em relação a Goiás, os dados apontam crescimento da produção do algodão pluma, de 53,3 mil toneladas na safra 2017/18 para 68,5 mil toneladas na safra 2018/19. Já em relação ao caroço de algodão, a produção em Goiás subiu de 82 mil para 105,3 mil toneladas, totalizando aumento de 28,4% na produção (área plantada teve acréscimo de 28,5% no Estado, passando de 33 mil hectares para 42,4 mil hectares).

O secretário substituto de Política Agrícola, Wilson Vaz, prevê que esses resultados vão beneficiar a comercialização dos produtos e influenciar de forma positiva a safra do próximo ano. Conforme explica ele, a prioridade é para os pequenos e médios produtores, além de investimentos em infraestrutura produtiva. “Tudo isso se confirmou nesses primeiros dois meses com aumento substancial no crédito para o médio produtor rural de 28%, 14% para o pequeno produtor”, diz.

Crescem as produções de café e banana

Também houve aumento da safra do café arábica, passando de 17 mil para 20 mil toneladas. No comparativo das duas safras há 14,5% de acréscimo. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referente ao mês de agosto deste ano. A banana passou de 198,5 mil toneladas para 207,4 mil toneladas (aumento de 4,5%), e a cana-de-açúcar foi de 73,44 milhões para 76,81 milhões de toneladas (aumento de 4,6%).

Segundo o secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, os números são reflexo da política do Governo de Goiás de fortalecer a atividade agropecuária no Estado. “Apesar de algumas dificuldades, o setor mostra sua força, crescendo e proporcionando desenvolvimento para municípios goianos. A Secretaria de Agricultura, junto com as jurisdicionadas Emater, Agrodefesa e Ceasa, tem promovido ações, projetos e atividades para que o produtor rural possa desenvolver suas atividades no campo, resultando na criação de emprego e renda, na movimentação da economia nas cidades e no estímulo ao comércio e produção industrial”, enfatiza. (Daniell Alves é estagiário do Jornal O Hoje sob orientação do editor de Cidades Rhudy Crysthian).

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar