22 de junho de 2018 - sexta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cultura
Literatura
13/03/2018 | 06h00
Sob o olhar de uma jovem de 17 anos
‘Pensamentos Travessos’, de Emanuely Camargo, reúne reflexões de um ser ainda em construção

GABRIELLA STARNECK*


O livro Pensamentos Travessos, escrito por Emanuely Camargo, será lançando nesta terça-feira (12), na Livraria Leitura do Goiânia Shopping, com selo da editora Kelps. A jovem, de 17 anos, reúne em sua obra reflexões de um ser ainda em construção, permeado por sentimentos de gratidão, saudade e compaixão. Emanuely traz seu olhar em relação a situações cotidianas e, apesar da pouca idade, possui um vasto repertório construído à base das leituras consumidas até o lançamento de sua primeira obra.

Pensamentos Travessos é o resultado de alguém que teve interesse pela literatura desde muito cedo. “A Emanuely lia desde pequena. Em uma só viagem, ela leu seis livros. Eu até dizia ‘larga esse livro, vamos se divertir’, mas ela falava que, quando começava a ler, precisava acabar. A gente tinha que vigiar a Emanuely, na hora de dormir, senão ela lia a noite toda”, conta Glauce Godoi Camargo, mãe da jovem. 


Emanuely Camargo

Nascida em Goiânia, Emanuely Camargo sempre foi apaixonada não só pela literatura, mas pela gramática. “Ela sempre foi excelente em português. Na questão literária, ela gostava de ler tudo, como livros para adolescentes da Thalita Rebouças, da Paula Pimenta – ela lia todas as séries. O quarto dela é cheio de livros! Com tanta coisa para fazer, a Emanuely se identifica com a leitura”, afirma Glauce. 

A mãe de Emanuely diz que sempre incentivou seus filhos a lerem: “Eu acredito que a grande questão de tudo é o educar, o que a gente faz é o que eles também fazem! Eu penso que o conhecimento é algo que a gente leva para onde vai, então eu praticava leitura. Além disso, eu sempre levei os meninos para escolherem o material escolar, para que eles tivessem prazer nisso”. 

Em relação à educação, outro ponto citado por Glauce está ligado ao mundo da fama, já que na família há artistas. “Por mais que tenhamos parentes famosos, eu ensinei meus filhos a terem vida própria. Eu sempre tive esse cuidado, porque o mundo dos flashes não é fácil!”, completa.

Segundo a mãe de Emanuely, a frequência na leitura só diminuiu quando a jovem entrou para o ensino médio, por conta da pressão dos estudos. Glauce ainda conta que, além da intensidade da leitura, a filha sempre teve facilidade em relação à escrita: “Ela sempre foi sentimental, escrevia textos e cartas de uma forma autêntica”. Atualmente, a jovem está fazendo intercâmbio, e cursa o terceiro ano do ensino médio em Boston (Massachusetts, EUA). Emanuely só voltou à cidade natal para o lançamento do livro.


‘Pensamentos Travessos’

A obra reúne reflexões de um ser ainda em construção, permeado por sentimentos de gratidão, saudade e compaixão. Em ritmo de crônicas cotidianas, os textos questionam a pressa de viver, as convenções impostas pela sociedade e a acomodação que pode levar a tantas frustrações humanas. Pensamentos Travessos ainda traz depoimentos de pessoas que leram o livro. “Quando você lê o livro, percebe que é mais do que imaginou; você se surpreende”, afirma a mãe da jovem. 

Marcos Gomes, da editora Kelps, ainda completa: “É um livro de uma adolescente que é referência do que é a nossa juventude. Ela é uma menina consciente e questionadora do sistema político, do modelo educacional, questionadora daquilo que acontece na sociedade, mas ao mesmo tempo dona de uma sensibilidade impressionante”.

A escrita do livro começou de forma sigilosa, sem que os pais de Emanuely soubessem. A jovem sentiu a necessidade de transportar para o papel a imaginação e o ambiente observado ao seu redor. Foi dessa forma que Emanuely começou a rascunhar as primeiras linhas de Pensamentos Travessos até ganhar confiança para mostrar a obra, não somente para os seus pais, mas para todos – por meio da publicação de seu primeiro livro. “Ela, em princípio, não deixava a gente ler o que escrevia, porque não queria que nós a influenciássemos, por isso só nos mostrou o livro depois de finalizado”, afirma Glauce. 

A mãe de Emanuely ainda conta que só soube do processo de escrita em setembro do ano passado, e completa: “Eu imaginva que ela escreveria um livro, mas não tão rápido. Eu estava em um momento tão especial, porque o Francisco, meu filho de 9 anos, tinha sido escolhido em um concurso por causa de um curta-metragem. Quando fui dar a notícia para a Emanuely, ela me contou que estava escrevendo o livro, e que já estava finalizando. 2017 foi um ano que só tenho agradecer a Deus!”. 

Glauce ainda relata que Emanuely já havia falado com seu padrinho sobre o livro, e ele já estava entrando em contato com alguém que pudesse fazer a revisão ortográfica do texto, e que também fizesse a ilustração do livro. “A Emanuely falou que precisava de dinheiro, e eu não entendi, mas o pai autorizou, porque já estava ciente. Na verdade, nós queríamos ter lançado o livro no ano passado, mas fomos olhar o intercâmbio dela, e acabou não dando tempo de pensar, por isso o lançamento será lançamos agora”. 


Expectativa

A mãe da jovem conta que, como a Emanuely estava fora (por causa do intercâmbio em Boston), ela acompanhou todo o processo de criação do livro juntamente com a filha: “Eu mandava as coisas da obra para ela, e pedia sua opinião, porque quando vai para gráfica geralmente algumas coisas precisam ser alteradas”.

Glauce ainda comenta sobre a sensação, como mãe, de ter uma filha tão nova e que já está lançando um livro: “Eu fico admirada pela Manu, por essa vontade de fazer a diferença no mundo; ela quer ser alguém que faz a diferença! Eu fico muito agradecida! Minha filha é uma menina tranquila, que vive cada fase da vida. Ela tem um jeito peculiar de ver as coisas, e eu fico extremamente feliz e orgulhosa!”, finaliza a mãe de Emanuely. 

*Integrante do programa de estágio do jornal O HOJE sob orientação 

da editora Flávia Popov


SERVIÇO

Lançamento do livro ‘Pensamentos Travessos’, de Emanuely Camargo

Quando: terça-feira (13) 

Onde: Livraria Leitura do Goiânia Shopping (Av. T-10, nº 1.300, Setor Bueno – Goiânia)

Horário: a partir das 18h 


Entrevista : Emanuely Camargo 

Como surgiu o seu gosto pela leitura?

Desde pequena, eu sempre lia muito. Não sei exatamente de onde surgiu o gosto; foi algo espontâneo! Quando eu começava a ler, não parava mais. 


Você tem alguma preferência por gêneros literários?

Eu sempre li de tudo – crônicas, reportagens de revistas, histórias – não tinha um gênero específico; gostava de ler tudo o que estava a minha frente.


Por que você viu a necessidade de escrever o livro?

Foi quando eu não estava encontrando nada com que eu me identificasse para ler, aí resolvi escrever algo com que me identificasse e quisesse ler. 


Você focou em uma temática específica?

Acho que a minha temática principal é o cotidiano. Eu queria escrever sobre o que via no meu dia a dia, mostrar detalhes – como sentimentos de gratidão, saudade e compaixão – que muitas pessoas acabam por não notar. 


Você teve alguma dificuldade durante o processo de escrita do ‘Pensamentos Travessos’? 

A falta de tempo, porque eu estava cursando o ensino médio. Ao mesmo tempo em que eu queria colocar meus pensamentos para fora, no papel, eu precisava me dedicar aos estudos, então às vezes eu tinha essa dificuldade por conta da pressão dos estudos e, consequentemente, da falta de tempo. 


Para você, qual a importância de escrever uma obra, aos 17 anos, sendo que a maioria dos jovens, hoje em dia, não tem esse gosto pela literatura?

Acho que os jovens não desenvolvem esse gosto pela leitura por causa da falta de tempo. A realidade dos jovens mudou, é muito conteúdo que nós precisamos estudar, e o tempo fica escasso. No tempo livre que temos, acabamos nos entretendo com a tecnologia. A minha necessidade de escrever surgiu justamente pela necessidade de mostrar que nós, jovens, nos interessamos pela leitura e pela cultura, mas que nos falta tempo para isso. 


Você pretende escrever outros livros ao longo da sua trajetória de vida?

Quem sabe! A escrita e a leitura sempre estarão presentes na minha vida, mas sou jovem ainda para falar sobre o meu futuro. 


Você tem apenas 17 anos, mas já sabe se profissionalmente vai se dedicar a essa área da escrita? 

Ainda não sei, sou nova, e é uma pressão muito grande escolher o que vamos fazer. 


Por que a escolha do título ‘Pensamentos Travessos’ para o seu livro?

Travesso me remete a caminho e a palavra pensamentos me remete a alguém que está em construção, por isso fiz a escolha. 


Você vem de uma família ligada ao mundo da fama. Como tem sido para você lidar com o lançamento de um livro? 

Eu não sei explicar! Estou superando minhas expectativas, porque não esperava um lançamento assim, com essa proporção. E, por conhecer o outro lado por trás da fama, me assusta um pouco, mas acredito que, dando um passo de cada fez, eu consigo lidar com tudo.  

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)