23 de outubro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cultura
CONSCIENTIZAÇÃO
09/10/2018 | 06h00
Teatro Sesi apresenta peça teatral sobre cerrado em Goiânia
Espetáculo ‘Gerais’ mostra as belezas do bioma e alerta para importância de preservá-lo

GABRIELLA STARNECK

ESPECIAL PARA O HOJE 

Diversidade da flora e fauna do Cerrado, importância de preservar esse bioma, lendas e mitos que permeiam a vida do homem sertanejo. Essas são algumas das questões abordadas no espetáculo Gerais, que será apresentado nesta terça-feira (9) no Teatro Sesi. O espectador irá imergir no universo do Cerrado por meio de uma narrativa musical e audiovisual. O espetáculo leva ao palco um conjunto de manifestações artísticas autenticamente brasileiras que evidenciam os povos desse bioma. 

“A principal mensagem que Gerais traz é uma elucidação sobre as riquezas do Cerrado e a importância de conscientizar as pessoas para preservá-lo – porque, senão, tudo que vamos retratar no palco poderá deixar de existir, e será apenas uma memória que não irá se perdurar. A intenção é mostrar o tanto que o meio ambiente está interligado a tudo”, afirma o diretor do espetáculo, Vagner Rosafa, ao Essência.  A apresentação também vai abordar a cultura indígena, negra e popular.

‘Gerais’

O espetáculo é fruto de uma parceria entre o pianista e pesquisador Vagner Rosafa e a cantora Alba Franco. “Nós trabalhamos juntos, em um instituto que era especialista em Cerrado, dentro de um grupo de pesquisa da PUC. Então, por afinidade em relação às questões do Cerrado, decidimos montar apresentação. Além das belezas do bioma, vamos retratar sua degradação e as consequências disso para o planeta”, conta Vagner Rosafa. Sobre a escolha do nome – Gerais –, o diretor conta que esse termo é usado por pessoas de Goiás, da Bahia e de Minas Gerais para se referir ao Cerrado: “Gerais é um sinônimo do bioma, e é usado em muitos lugares desses 11 estados que compõem o Cerrado”. 

Durante a apresentação, várias músicas, a maioria de domínio público, como conta Vagner Rosafa, serão executadas tendo como plano de fundo vídeos e imagens que retratam o Cerrado. “O espetáculo é cerca 50% audiovisual. Além das projeções que remetem ao bioma, alguns percursionistas são virtuais – eles são filmados e projetados no palco. Então tem uma interação dos músicos reais com os virtuais”, afirma o diretor. As projeções e a animação sobre lendas e mitos que enriquecem a vida do homem sertanejo foram criadas pelo VJ Paulinho Pessoa, e ilustram todo o espetáculo.

Andréa Luísa Teixeira e Verônica Aldê (flautas) e Gidesmi Alves (violoncelo), Nego Henrique, Fernando Santos e Jader Couteiro (percussões) e Ney Couteiro (violão e viola) compõem o elenco de Gerais. As cantoras Nathalia Kaule e Flávia Carolina Almeida atuam como backing vocal.  Vagner Rosafa ainda conta que o espetáculo conta com a participação do percursionista Luiz Henrique, do Cordel do Fogo Encantado. A narração das histórias é feita pelo ator Paulo Vespúcio e Rosafa. Os figurinos foram criados por Cláudio Livas e Ana Mendonça. 

Cerrado

O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, e sua área perpassa os estados de Goiás, Tocantins, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Bahia, Maranhão, Piauí, Rondônia, Paraná, São Paulo e Distrito Federal– além dos encraves no Amapá, em Roraima e no Amazonas. De acordo com o site do Ministério do Meio Ambiente, o Cerrado é considerado “hotspots mundiais de biodiversidade”. Além da importância da fauna e flora do bioma, ele tem uma grande importância social, já que muitas populações sobrevivem de seus recursos naturais, como etnias indígenas, quilombolas, geraizeiros, ribeirinhos, babaçueiras, vazanteiros e comunidades quilombolas.

Contudo, principalmente nos últimos anos, uma questão vem preocupando os especialistas – o Cerrado é o bioma brasileiro que mais sofreu alterações com a ocupação humana. Além disso, também de acordo com o site do ministério, o Cerrado é o que possui a menor porcentagem de áreas sobre proteção integral. Por conta disso inúmeras espécies de plantas e animais correm risco de extinção. Para reverter esse cenário, é necessário que a população se conscientize sobre a importância de se preservar esse bioma. Caso o contrário, as próximas gerações correm o risco de não conhecer todas as belezas do Cerrado. 

Gerais é um espetáculo musical e audiovisual que traz ao palco um conjunto de manifestações artísticas que evidenciam o Cerrado – desde as belezas do bioma, a cultura dos povos que habitam essa região. A apresentação traz um alerta sobre os riscos da extinção do Cerrado e as consequências disso para a humanidade e o planeta. Música, animações, tecnologia, meio ambiente compõem o espetáculo. O diretor conta que acredita que essa manifestação cultural pode corroborar para conscientizar as pessoas para a importância de se preservação a natureza.

“A arte tem essa via da sensibilização. Poder falar da degradação do Cerrado por meio da arte; é um facilitador. Juntar a arte a essa ‘denúncia’ é um caminho para se tocar, para chegar ao coração das pessoas e elucidar o que está acontecendo. Além disso, esse espetáculo é uma forma de apresentar essa rica cultura para muitas pessoas que não conhecem o que realmente é o Cerrado, porque para muitos esse bioma é algo distante. Gerais traz mensagens como ‘olha onde nós moramos’, ‘olha a riqueza desse lugar’ e  ‘perceba o que está acontecendo com esse bioma’. Esse espetáculo é uma manifestação artística que levanta essas reflexões”, finaliza Vagner Rosafa. 

SERVIÇO

Espetáculo ‘Gerais’

Quando: terça-feira (9) 

Onde: Teatro Sesi (Av. João Leite, nº 1.013, Setor Santa Genoveva – Goiânia)

Horário: 20h

Entrada: doação de 2 quilos de alimentos ou um livro ­literário

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)