16 de dezembro de 2018 - domingo

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Cultura
7ª arte
23/10/2018 | 06h00
‘Goiânia será a Capital do cinema por quatro dias’
22º Encontro Socine oferece palestras, mesas-redondas, oficinas e lançamentos literários a partir desta terça

GABRIELLA STARNECK

ESPECIAL PARA O HOJE 

A Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual (Socine), em parceria com a Universidade Federal de Goiás (UFG), promove o 22º Encontro Socine, de terça (23) a sexta-feira (26), no Campus I da UFG, em Goiânia. O evento irá reunir cerca de mil pesquisadores – atuantes no Brasil e na América Latina – para refletir sobre os 50 anos de maio de 1968, tema central do Socine em 2018. Palestras, mesas-redondas, oficinas e lançamentos literários integram a programação.

O evento ocorre, anualmente, e se configura como um importante espaço para a divulgação e debate dos mais recentes estudos e pesquisas voltados para as manifestações do fenômeno cinematográfico e áreas afins. “O principal objetivo da Socine é reunir todo mundo que pesquisa imagem, cinema e audiovisual no Brasil”, afirma Lisandro Nogueira, coordenador geral do Socine em Goiás.

Evento

A Socine foi criada em novembro de 1996 com o objetivo de promover a realização e o intercâmbio de pesquisas e estudos de cinema em suas mais diferentes manifestações, incentivando, assim, a reflexão e a troca de ideias sobre cinema e audiovisual no Brasil. A Socine promove encontros anuais para reunir profissionais da área com o intuito de propiciar oportunidades concretas de interação entre os profissionais, produtores, críticos, pesquisadores, professores e estudantes do campo do audiovisual das diferentes regiões do Brasil e países próximos. A cada edição, o evento debate uma temática específica. Em 2018, o tema central é: Os 50 Anos de Maio de 1968.

“À esquerda, temos uma metáfora das conquistas do presente (pluralismo, direitos das minorias, antiautoritarismo, êxtase, liberação sexual, entre outras); à direita, temos a metáfora dos males contemporâneos (crise de valores, falta de autoridade, relativismo absoluto). Nossa proposta, neste ano, é refletir sobre as transformações precipitadas pelos novos paradigmas filosóficos e sociais e pelos horizontes políticos não apenas nas formas estéticas e cinematográficas, mas também nos modos de produção e recepção dos filmes feitos nesse período”, analisa a presidente da Socine, Angela Prysthon. Lisandro Nogueira complementa: “Neste ano, a Socine vai se dedicar muito a tentar compreender o que aconteceu nesses 50 anos posteriores ao movimento, que no Brasil teve como maior representação o Tropicalismo, com Caetano Veloso e Gilberto Gil”, afirma o coordenador geral do Socine em Goiás.     

Desde o último Encontro Socine, no ano passado, em João Pessoa, foi definido que neste ano o evento ocorreria em Goiânia. O Sociene é realizado e sediado pela UFG (Campus I), com apoio da Universidade Estadual de Goiás (UEG) e Instituto Federal de Goiás (IFG), com recursos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Cinema em Goiás

Goiás já é referência na área de cinema e audiovisual. Prova disso é a realização de diversos festivais voltados para área que acontecem no Estado. “Os goianienses estão cada fez mais fazendo filmes e longas-metragens, e isso tem feito com que as pessoas se interessem em vir para Goiânia. São esperadas cerca de mil pessoas, do Brasil inteiro, que trabalham ou estudam o audiovisual. Goiânia vai ser a ‘Capital do cinema’ nesses quatro dias. Para nós é um orgulho muito grande, porque mostra que nos temos uma cinefilia já consolidada”, afirma Lisandro Nogueira.

Sobre o cenário do cinema e audiovisual em Goiás, o coordenador geral do Socine no Estado afirma que Goiânia é uma cidade cinéfila, e que a produção local melhorou muito nas últimas décadas: “Hoje, nós temos pessoas que se dedicam a estudar essa área em Goiás. Se você pegar 30 anos atrás, não tínhamos isso com essa força. Goiânia é a quinta capital em assinantes da Netflix, e a sexta em salas cinema do País. Esses são passos lentos e gradativos para que o Estado alcance o patamar do Rio de Janeiro e São Paulo – que demora muito”.   

Programação 

O 22º do Encontro Socine conta com palestras, mesas-redondas, oficinas, lançamentos literários e homenagens a grandes personalidades do pensar e fazer cinema no Brasil e em Goiás. Na abertura, na terça-feira (23), às 19h, a homenageada é a professora Maria Bernadette Cunha de Lyra (UFES). No encerramento do encontro, na sexta, os homenageados são o projecionista, cineclubista e realizador goiano Eudaldo Guimarães; o Cineclube Antônio das Mortes, fundado em 1977, em Goiânia; e os professores Rubens Machado e Ismail Xavier, da Universidade de São Paulo. A programação ainda conta com a mostra vespertina Maio de 68. Com curadoria dos pesquisadores Ivan Lima Gomes e Adérito Schneider, a exibição é gratuita e traz títulos importantes da época, como os documentários Longe do Vietnã; O Bandido da Luz Vermelha; A Confissão; e Sem Destino. Produções brasileiras também serão exibidas – como Manhã cinzenta, Blablabla e Terra em Transe. 

SERVIÇO

22º Encontro Socine

Quando: de terça-feira (23) até sexta-feira (26)

Onde: Campus I da UFG, Setor Leste Universitário – Goiânia

Mais info: http://socine2018.com.br/ 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)