Segunda-feira, 10 de agosto de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cultura

Confira as principais dicas para a saúde bucal das crianças

Postado em: 04-12-2019 às 17h30
Em prol de um sorriso saudável, a especialista e mestre em Odontopediatria Renata Estrela dá dicas para o bem estar dos pequenos - Foto: Cristóvão Matos

Elysia Cardoso

A saúde dos filhos é sempre uma prioridade para os pais e por isso, mesmo na infância, é bom se atentar a alguns sinais para evitar que seu filho tenha algum dos problemas dentários mais comuns da infância. Entre os problemas mais frequentes na saúde dos pequenos estão as complicações que surgem com a má escovação e o desuso de ferramentas importantes, como o fio dental. 

De acordo com a especialista e mestre em Odontopediatria Renata Estrela, os cuidados com a saúde bucal são importantes desde os primeiros meses de vida. “Quando nascem, alguns bebês necessitam de cuidado imediato, pois alguns já nascem com dentes. Neste caso é preciso avaliar, outro exemplo são os recém nascidos, que possuem a língua presa dificultando  a amamentação. Também é essencial se atentar a questões relacionadas a higiene. Assim que nasce o primeiro dente, já tem que usar a escova, com pasta de dente com flúor”, informa Renata Estrela ao O Hoje online.

Existe muita contradição ao mencionar o uso de pasta dental com Flúor para crianças pequenas, já que os dentes são muito sensíveis nesta fase da vida. Porém para a doutora Renata é muito importante que a pasta de dente seja incluída desde as primeiras escovações. “Algumas pessoas questionam se o uso do flúor faz mal, porém não faz. A associação brasileira e americana de odontopediatria prescreve o uso de pasta de dente com flúor desde o nascimento do primeiro dente. 

Fio dental

Outro recurso importante para a saúde bucal da criança é o uso do fio dental. Que deve ser utilizado muito antes do que se imagina. “O ideal para se começar a utilizar o fio dental é quando a criança desenvolve dois dentes, um ao lado do outro, no qual a escova não consegue limpar entre eles. Se tiver mais espaçado, não tem a obrigatoriedade de usar, mas sempre falo que a gente usa o fio neste caso para a criança começar a acostumar com o manuseio deste instrumento, já por volta dos 8 meses”, cita a odontologista. 

O uso do fio dental, nem sempre é considerado uma boa experiência para as crianças. Mas segundo a doutora Renata, introduzir o uso do fio de forma mais lúdica faz com que a criança tenha menos relutância ao usar. “Para quem nunca usou antes, é normal que tenha uma resistência, pois a crianças nunca foi apresentada ao fio dental. A solução é introduzir o uso de forma mais leve com brincadeiras para a criança aceitar mais fácil. Tem que ensinar de acordo com a linguagem dela. É necessário pegar, sentir, nessa fase da infância é tudo relacionado ao tato”, indica Renata. 

Independência e retorno

Outro ponto que pode deixar alguns pais curiosos é sobre quando deixar os pequenos escovarem os dentes por si só. De acordo com especialistas, essa responsabilidade deve ser passada gradualmente aos filhos, de acordo com a coordenação motora. “Até os cinco anos a escovação é obrigatoriamente feita pelos pais, ela não tem coordenação motora o suficiente nesta idade. Quando ela completa 6 anos, a criança quer ter uma independência, nessa fase deve ser inserido o que chamamos de escovação supervisionada. Isso consiste na criança efetuar a escovação e em seguida os pais dão o refinamento”, informa Renata. 

Segundo a odontologista, esse treinamento é muito importante para o desenvolvimento  e para a prevenção de doenças bucais. “O treino da  criança é muito importante. A criança vai aprendendo a manusear de forma correta. Aos poucos. E depois na fase de pré adolescência ela já consegue escovar sozinha. E se os pais supervisionam já da uma tranqüilidade de que estão fazendo corretamente. “A prevenção é muito importante, assim como fazer o controle da dieta da criança, que influencia diretamente na saúde dos dentes. E quem faz uso da prevenção, não passa por muitos desconfortos como caries profundas, e ela sente confiança para ir ao dentista”, completa a médica. 

(Elysia Cardoso é estagiário do jornal O Hoje, sobre orientação do editor Lucas de Godoi)

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar