Quarta-feira, 02 de dezembro de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Cultura

Primeiro dia do Fica debate o papel do cinema como meio de ativismo

Postado em: 17-11-2020 às 16h39
O festival começou na última segunda-feira (16)/ Foto: reprodução

Jyeniffer Taveira

A primeira discussão do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental contou com a presença dos cineastas Marcelo Pedroso e Gabriela Amaral. A pauta do debate passou pela exemplificação do ativismo dentro das obras produzidas pelos cineastas (ficção e documentário), como as obras podem interferir na realidade social dos espectadores e a importância de uma educação audiovisual nas escolas. A cineasta Gabriela Amaral que trabalha em obras de ficção pontuou a importância do posicionamento político. 

“Fazer cinema na América Latina é ser um ativista”. De acordo com ela, os últimos dez anos proporcionaram uma abertura do audiovisual em outras classes sociais e políticas no Brasil que trazem o debate e o ativismo para dentro das próprias obras. “A presença de nós, mulheres, nordestinas, negros, transexuais e classe trabalhadora faz com que o ato de contar história seja um ato político”, comentou.

A mesa de debate “Cinema e Ativismo” foi transmitida ao vivo pela conta da Secretaria de Estado de Cultura (Secult Goiás) no Youtube. Por causa da pandemia da Covid-19, todas as atividades da 21a. edição do Fica serão virtuais.

Durante toda a semana, serão realizadas oficinas, laboratórios e mesas redondas, por meio de plataformas digitais. Os filmes selecionados e toda a programação do Festival podem ser vistos no site. 

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar