Cultura

Câncer - bicho dengoso, de colo e cama, sensual e charmoso

Postado em: 13-01-2021 às 18h20
21 de Junho e 22 de Julho, o canceriano também tem sua crônica de autoria do advogado e escritor Lucas Montagnini | Ilustração: Yuhon

Lucas Montagnini  

O canceriano chegou acanhado, um tanto quanto tímido, falando pouco e observando muito, tal qual mãe observando de longe a cria. O bicho caranguejo tem mesmo desse instinto protetor, por isso vive dentro da concha, como se estas fossem portos seguros onde podem se refugiar do mar de sentimentos que lhes toma conta.

São os maestros da poesia do tato, cheios de braços e abraços, o verdadeiro manifesto do afeto. A sensibilidade inata é reflexo de tanto amor guardado no peito. Coração tão puro se acanha fácil, fica recluso no canto e muda de fases tanto quanto a lua. É quase um jogo de imagem e ação, em que, acima de tudo, muito se presa pela percepção. É só mistério, não tem nada de sério. 

Só se queixa desse ser quem muito pouco ou nada sabe sobre amar. O canceriano se estabelece onde quer ficar, transformando qualquer vida lamaçal em lar de amor e luz – aconchego de casal. É afago protetor que cura e alivia. Ele vai sair da própria concha e com você dormir de conchinha, seja de noite ou de dia. Eita bicho dengoso, de colo e cama, sensual e charmoso! Já sonhou em ser feliz para sempre?

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar