Cultura

O agora, não o passado e nem o futuro do ator que deixou saudades

Postado em: 22-01-2021 às 10h30
Aos 28 anos Heath Ledger deixou a escala maior de atores, mas ainda é lembrado como um dos mais importantes | Foto: Reprodução

Lanna Duarte

Certa vez o ator que alcançou o estrelato mundial Heath Ledger disse que ele não era bom em planejamento futuro, não planejava nada. Ele não sabia o que faria amanhã e que não tinha um planejador de dia e nem um diário. Ele vivia completamente o agora, não o passado, não o futuro. Isso me parece definir bem a personalidade do artista, que mal sabia o que estava por vir. Nesta mesma data, 13 anos atrás, o mundo perdia sua genialidade de forma trágica. Parece que foi ontem, pois sua vida e obra ainda impacta.

Mas o ator merece ser lembrado por suas façanhas no cinema, onde deu vida a vários personagens que marcaram a história cinematográfica. Quem nunca viu um filme de Heath Ledger e não se encantou com esse incrível ator? Seu jeito simpático, autêntico, dedicado, inteligente, charmoso e seu lindo sorriso eram marcas registradas. Ele começou a ser reconhecido mundialmente com o filme ‘10 coisas que eu odeio em você’ e teve seu ápice, no papel de Coringa, em ‘Batman – o cavaleiro das trevas’, que lhe rendeu um Oscar póstumo.

Em todos os papéis que interpretava, Heath se jogava de cabeça para dar o máximo de si. Para cada personagem ele criara gestos e olhares diferentes, nunca houve um personagem parecido com o outro. Ele era um exímio ator, que conseguia dar vida aos personagens de forma que ao olhar nos olhos deles você percebia que ali existia um personagem vivo, não apenas um ator tentando interpretar alguém. Mas para relembrar sua carreira, o Essência listou alguns dos personagens mais icônicos de Ledger.

No filme ‘O Patriota’ (2000) Heath Ledger não foi o protagonista, pois seu personagem, Gabriel, é usado como estopim para que Benjamin Martin (Mel Gibson) possa lutar com ainda mais raiva contra o exército britânico. É um papel secundário interessante, e que o colocou no centro de uma produção de época a guerra da independência americana. Ledger interpreta um rapaz idealista e lutador e sempre quando esteve em cena deu conta do recado. Mesmo não interpretando o personagem principal, o ator ganhou destaque.

Agora como protagonista, interpretando William, um jovem escudeiro que fica no lugar de seu mestre em um sangrento combate com lanças, é um dos longas mais adorados pelos fãs do ator. Além de o filme ser bastante interessante, seu personagem tem todas as faces de um herói e conquistador, apenas deu uma pontada maior de admiração para o seu papel. Em ‘Coração de Cavaleiro’ (2001) o ator demonstrou que podia sim fazer filmes de ação com toques dramáticos e que ao ser o protagonista tinha força suficiente para manter o interesse do público no filme.

‘10 Coisas que Eu Odeio em Você’ (1999) é um verdadeiro clássico das comédias-românticas. Heath Ledger interpreta o jovem Patrick que tenta a todo o custo conquistar a garota bonita da escola Kat Stratford (Julia Stiles). Ledger ainda era o jovem que sonhava conseguir ganhar o mundo com grandes personagens, e que aqui já dava uma ideia do que viria pela frente. A cena clássica dele cantando enquanto Kat treinava é um verdadeiro marco e até hoje é lembrado por muitos como uma das cenas mais divertidas do longa.

Com uma maior bagagem nas costas, Heath Ledger entrega uma de suas maiores atuações no belo e emocionante ‘O Segredo de Brokeback Mountain’ (2005). O ator dá um banho de interpretação com um personagem que não é fácil de fazer, um rapaz que é homossexual, mas que precisa esconder para todos a verdade. Em um desempenho impactante e humano o jovem ator se credenciava para conseguir papéis maiores. Talvez tenha sido nesse período, com esse personagem complexo, que o ator se consagrou.

‘Batman: O Cavaleiro das Trevas’ (2008) não foi o último filme em que Heath Ledger trabalhou, o último foi ‘O Mundo Imaginário do Dr. Parnassus’, mas com certeza foi o que mais marcou a sua curta e meteórica carreira em Hollywood. Ao interpretar o vilão caótico Coringa, que tem como objetivo apenas criar o pânico por onde passa, o ator entregou uma atuação surpreendente e assustadoramente realista. Sua interpretação do Coringa foi tão forte que em muitos momentos o antagonista chega a ser mais importante que o próprio herói Batman. 

Muitos atribuem a esse filme o desequilíbrio psicológico que o levou a perder a vida, mas tudo não passa de especulação. O que se tem certeza é de que, apesar de meteórica, sua carreira foi alçada aos mais altos lugares. Sua atuação e seu processo criativo impressionou, um ator extremamente desprendido de si mesmo, se doava e quiçá se transformava literalmente em seus personagens. "Eu estou aqui, de pé, nos ombros do meu ator favorito, Heath Ledger", disse Joaquim Phoenix, último Coringa. Essa é uma sensação unânime.

(Lanna Duarte é estagiária do jornal O Hoje) 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar