27 de abril de 2017 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
índice
08/02/2017 | 08h24
Inflação pelo IPC-S cai de 0,69% para 0,68% na primeira semana de fevereiro
Levantamento indicou queda de preços em três das oito classes de despesa componentes do índice, entre uma semana e outra

A inflação - medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) - fechou a primeira semana de fevereiro com desaceleração de 0,08 ponto percentual, ao cair de 0,69% na semana encerrada no último dia 31 de janeiro para 0,68% nesta semana finalizada no último dia 7.

Os dados foram divulgados nesta quarta-feira (8), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV) e indicam queda de preços em três das oito classes de despesa componentes do índice, entre uma semana e outra.

A maior contribuição para a queda partiu do grupo Alimentação, que retraiu 0,19 ponto percentual entre um período e outro (de 0,39% para 0,20%). Nesta classe de despesa, destaca-se o comportamento do item carnes bovinas, cuja taxa passou de 0,28% para uma inflação negativa de 0,73%.

Números em queda

Também acusaram decréscimo em suas taxas de variação os grupos: Educação, Leitura e Recreação (4,15% para 3,34%) e Comunicação (0,47% para 0,41%). Nestas classes de despesa, houve recuos: cursos formais (9,80% para 7,01%) e tarifa de telefone móvel (1,18% para 1,00%), respectivamente.

Em contrapartida, os grupos Habitação (0,29% para 0,34%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,35% para 0,39%), Vestuário (-0,27% para -0,13%) e Despesas Diversas (0,39% para 0,40%) apresentaram acréscimo em suas taxas de variação.

O grupo Transportes repetiu a taxa de variação registrada na última apuração, 0,82%. As principais influências em sentido ascendente e descendente partiram dos itens automóvel novo (0,46% para 0,77%) e tarifa de ônibus urbano (2,69% para 2,32%), respectivamente.

Foto: (Marcelo Camargo/Agência Brasil) 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)