19 de setembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Hora de trocar
25/12/2017 | 11h45
26 de dezembro: “Dia Internacional da Troca de Presentes”
Esse é um momento de grandes oportunidades de vendas e de ganhar novos clientes. Mas é bom estar atentos a alguns cuidados

Dia Internacional da Troca de presentes. Assim pode ser chamada a data de 26 de dezembro, pois é o primeiro dia após a celebração natalina e é quando as pessoas aproveitam para trocar aquele presente que não serviu direito ou que por algum detalhe não agradou tanto.

Nas lojas de uma das  maiores grifes de moda de Goiás, por exemplo, esse movimento pós-Natal cresce de 10 a 15% a partir do dia 26, porém se engana quem pensa que os vendedores fogem daquelas pessoas que vão ao estabelecimento fazer uma troca. Segundo Regina Alves, gerente geral das lojas da marca, esse “dia da troca” é um momento de grandes oportunidades de vendas e de ganhar novos clientes, já que muita gente que é presenteada, as vezes, não conhece os produtos da loja. “Em nossas lojas, metade das pessoas que aparecem para trocar alguma roupa por causa da cor ou do tamanho acaba levando mais uma ou duas peças para combinar com o presente que ganhou. E as mulheres são maioria nestas trocas, representando cerca de 70% dos clientes”, revela Regina.

O Código de Defesa do Consumidor é claro e diz que o lojista só é obrigado a trocar um produto em caso de defeito. Mas na prática, a grande maioria dos estabelecimentos, em especial os de vestuário e calçados, é flexível nesse sentido. A gerente das lojas explica que é uma forma de fidelizar o cliente e ao mesmo tempo aproveitar a oportunidade para uma nova venda.

Mas é preciso estar atento às regras para essa troca, que podem variar de acordo com cada estabelecimento. A diretora executiva da marca, Lorena Darrot, explica que as lojas da marca costumam seguir o padrão do mercado, que é de trocar qualquer peça até 30 dias após a compra, desde que esteja com a etiqueta. “A pessoa pode efetuar a troca independente do motivo. Procuramos facilitar ao máximo para que ela saia da loja satisfeita. Afinal, é uma boa oportunidade para que ela conheça nossos produtos e até compre mais”, esclarece.

Ela lembra que o prazo começa a ser contado a partir do momento da compra e não quando é entregue à pessoa presenteada, por isso quanto antes a pessoa efetuar a troca, melhor, pois assim ela conseguirá garantir a numeração ou o modelo que deseja. “Se a pessoa deixar para fazer a troca perto do final do prazo, pode acabar não encontrando o produto que deseja, nem o tamanho que precisa. Não temos como garantir isso”, esclarece.

Outra questão sobre a qual precisa-se estar atento é se a peça comprada é de liquidação, muitas lojas não trocam produtos comprados nessa condição, a não ser em caso de defeito. Outro cuidado que o consumidor precisa tomar é sempre pedir a nota fiscal e guardá-la. Ela é a garantia de que a compra foi feita naquele estabelecimento e naquela data. A loja adotou uma estratégia diferenciada, caso a pessoa tenha perdido a nota, é possível solicitar uma segunda via para depois fazer a troca.

Por fim uma dica, que caso você tenha esquecido de usar quando comprou seus presentes, é válida para outras ocasiões em que for presentear alguém novamente: mesmo que a troca seja algo usual no comércio, é bom sempre perguntar se o estabelecimento faz essa troca, lembrando que o procedimento só é obrigatório em caso de defeito. É bom averiguar também se o produto é passível de troca, itens como lingeries e roupas de banhos não são por exemplo. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)