21 de junho de 2018 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Recursos
09/03/2018 | 08h20
Anatel mantém aplicação de R$ 370 milhões em multas contra Telefônica
São multas pelo não desligamento do telefone do assinante quando solicitado ou o não desbloqueio do telefone do usuário inadimplente dentro do prazo regulamentado

O Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) rejeitou recursos da operadora Telefônica e manteve a aplicação de multas no valor de R$ 370 milhões. No julgamento realizado na quinta-feira (8), o conselho analisou recursos apresentados pela companhia contra decisões da área técnica da agência reguladora relativos à duas dezenas de processos.

A empresa foi multada por descumprimento de regras na prestação de serviços.

Segundo o presidente da Anatel, Juarez Quadros, “as multas são razoáveis e oportunas dado que a telefonia fixa é um serviço de fundamental importância, ainda mais em 2007 (ano em que as infrações foram cometidas)”. As multas iriam prescrever em abril deste ano.

Além dos R$ 370 milhões, outros R$ 30 milhões em multas semelhantes contra a Telefônica devem ser pautados nas próximas reuniões do Conselho Diretor da Anatel. Com isso, as multas podem chegar a R$ 400 milhões. Somados os juros e correção monetária, as infrações podem atingir cerca de R$ 700 milhões em valores atuais.

São multas pelo não desligamento do telefone do assinante quando solicitado ou o não desbloqueio do telefone do usuário inadimplente dentro do prazo regulamentado, além de demora no conserto de orelhões.

 Fonte: Agência Brasil. (Foto: Reprodução/Internet)
Tópicos:  Anatel,   telefônica,   telefonia fixa

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)