19 de setembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Crédito
13/03/2018 | 06h00
Empréstimos rurais somam R$ 92,1 bilhões
Segundo o MAPA, o aumento no percentual de empréstimos para financiamentos, somou 18,7 bilhões

A contratação de crédito rural por médios e grandes produtores cresceu 12,4% e atingiu R$ 92,2 bilhões na atual temporada agrícola 2017/2018. O balanço foi divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O montante é referente aos financiamentos para as atividades de custeio, comercialização, industrialização e investimento, contratados entre julho do ano passado e fevereiro deste ano.

Segundo o ministério, o aumento no percentual de empréstimos para financiamentos, que somou 18,7 bilhões, é um indicador da retomada de confiança do setor agropecuário. O crescimento da economia brasileira no ano passado, de 1% no Produto Interno Bruto (PIB), foi justamente impulsionado pelo setor, que registrou 13% de aumento, o melhor desempenho da série histórica desde 1996.

Do total de recursos disponíveis para o crédito rural na atual safra, já foram utilizados 49%, um valor superior aos 44,6% contratados no mesmo período do ano passado. A expansão se deu principalmente nos financiamentos para comercialização e para investimentos, que registraram aumentos de 32,7% e 25,3%, respectivamente.


Investimentos

Entre os destaques nesse tipo de financiamento, estão as contratações de investimentos em programas para redução da emissão de gases de efeito estufa na agricultura (Programa ABC), que subiu 50,8%; de incentivo à irrigação e à produção em ambiente protegido (Moderinfra), com alta de mais 81,4%; construção e ampliação de armazéns (PCA), que subiu 98%, e no programa de incentivo à inovação tecnológica na produção agropecuária (Inovagro), que teve alta de 129% nas operações de crédito.

Os empréstimos para financiar a comercialização agropecuária já somam R$ 16,9 bilhões na atual temporada, enquanto créditos para custeio e industrialização registram operações de R$ 52,3 bilhões (alta de 3,4%) e R$ 4,1 bilhões (alta de 14,4%). 

Ainda de acordo com o ministério, as contratações de crédito rural, com recursos provenientes da emissão de Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs), aumentaram de R$ 10 bilhões para R$ 14,4 bilhões no último período.


Café

Em fevereiro, o Brasil exportou 2.355.660 sacas de café com índice de 9,1% menor em relação ao mesmo mês em 2017. A receita cambial foi US$ 377.240 mil, conforme informações divulgadas pelo Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). No acumulado dos dois primeiros meses do ano observou-se que as sacas exportadas de 5.040.781 unidades teve redução de 3,8%, em relação ao ano passado, quando a receita cambial alcançou US$ 807.983 mil.

O relatório do Cecafé também mostra um decréscimo de 9,4% no preço médio do produto que neste ano foi US$ 160,14, ante US$ 176,78, conforme os dados de fevereiro de 2017 e 2018.

O presidente do Cecafé, Nelson Carvalhaes, disse que os resultados verificados estão normais, e que as exportações "mais modestas" não rebaixam o país quanto à sua boa colocação no mercado mundial. "Temos que levar em conta que fevereiro foi um mês mais curto, o que inevitavelmente afeta as exportações. Nossa expectativa é que o mercado continue neste ritmo até a entrada da nova safra, em julho, quando estimamos um possível incremento nas exportações”.

Segundo Nelson Carvalhares pode-se verificar um tímido crescimento nas exportações de cafés robusta e uma recuperação dos embarques de cafés diferenciados, que atingiram 942.326 sacas nos primeiros dois meses deste ano, um crescimento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado. (Agência Brasil)  

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)