18 de outubro de 2018 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Capacidade
13/06/2018 | 06h00
Armazenamento de alimentos cai 0,6%
Os armazéns graneleiros e granelizados, responsáveis por 37,8% da armazenagem nacional, atingiram 63,1 milhões de toneladas de capacidade útil

A capacidade útil disponível no país para armazenamento de alimentos caiu 0,6% do primeiro para o segundo semestre de 2017, totalizando 167 milhões de toneladas. Os dados foram divulgados ontem (12), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os silos predominaram no segundo semestre com 78,8 milhões de toneladas, o que representa 47,2% da capacidade útil total do país. Apesar disso, houve uma queda de 0,5% na capacidade desse tipo de local de estocagem.

Os armazéns graneleiros e granelizados, responsáveis por 37,8% da armazenagem nacional, atingiram 63,1 milhões de toneladas de capacidade útil armazenável, apresentando crescimento de 0,1%.

Já os aos armazéns convencionais, estruturais e infláveis, somaram 25,1 milhões de toneladas, uma queda de 2,5% em relação ao primeiro semestre de 2017.


Alimentos estocados

O estoque de produtos agrícolas cresceu 28% no segundo semestre de 2017, na comparação com o mesmo período do ano anterior, ao passar de 24,6 milhões de toneladas armazenadas no segundo semestre de 2016 para 31,5 milhões no segundo semestre de 2017.

Entre os produtos agrícolas, o maior volume estocado foi o de milho (13,8 milhões de toneladas), seguido pela soja (8,5 milhões), trigo (3,8 milhões), arroz (2,1 milhões) e café (971,3 mil toneladas).

Em relação ao segundo semestre de 2016, os estoques dos principais grãos do país tiveram aumento no segundo semestre de 2017: milho (63,8%), soja (36,1%) e arroz (48,5%). (Agência Brasil)  

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)