23 de outubro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Aumento
04/10/2018 | 17h45
Gás de cozinha sofre sexto reajuste do ano
Com tantas oscilações, uma pesquisa recente realizada pelo IBGE detectou que cerca de 1,2 milhões de residências brasileiras começaram a apelar para lenha ou carvão para cozinhar

Gás de cozinha sofre sexto reajuste do ano (Foto: Divulgação)

Da Redação

O gás de cozinha, que há tempos vem pesando no orçamento do consumidor, ficará ainda mais caro. Além dos reajustes promovidos pela Petrobras, o mais recente aumento dos preços do botijão aconteceu devido ao dissídio salarial dos trabalhadores das revendas e distribuidoras, cuja data-base é em setembro.

Distribuidoras de gás anunciaram um aumento que varia entre 3,6% a 4,4% para o produto de 13 kg. Com tantas oscilações, uma pesquisa recente realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), detectou que cerca de 1,2 milhões de residências brasileiras começaram a apelar para a lenha ou carvão para cozinhar.

Outra mudança no comportamento dos consumidores causada pela alta dos preços é que muitos têm se arriscado a comprar produtos clandestinos, oferecidos bem abaixo do valor do mercado. No entanto, o principal risco do comércio ilegal é a falta de segurança: por não terem fiscalização da Agência Nacional do Petróleo (ANP), os botijões podem ter gás adulterado, conter o peso errado e, principalmente, vazar e causar acidentes fatais. 

Tópicos:  Gás de cozinha,   Petrobras

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)