15 de outubro de 2018 - segunda-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Economia
Aviação
05/10/2018 | 13h47
Goiânia registra a maior alta da passagem aérea do país
Ao lado dos combustíveis (veículos), a passagem aérea impactou no crescimento da variação dos transportes

Goiânia registra a maior alta da passagem aérea do país (Foto: Divulgação)

Da Redação

Goiânia apresentou em setembro a variação de 34,4% na passagem aérea, a maior alta registrada para o mês desde a inclusão do item na pesquisa em 1999. Em comparação as outras regiões pesquisadas, Goiânia teve a maior variação do item para o mês de setembro do país. Ao lado dos combustíveis (veículos), a passagem aérea impactou no crescimento da variação dos transportes, uma vez que estes itens tiveram aumento em relação ao mês de agosto.

As frutas também se destacam entre as maiores altas observadas em Goiânia: Melancia (14,03%), Uva (8,09%), Abacaxi (7,49%) e Tomate (7,07%). As maiores variações negativas foram observadas para Cebola (-16,54%), Batata-inglesa (-8,56%), Repolho (-6,78%) e Laranja-pera (-5,39%).

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de setembro de 2018, em Goiânia, registrou variação positiva de 0,49%, semelhante ao nacional, que registrou variação de 0,48%. Para a capital Goiana, no mês de setembro, essa foi a maior variação desde 2015. Nos últimos 12 meses, o índice acumulou 5,56% em Goiânia, registrando o maior índice entre os locais pesquisados, ficando acima do nacional que acumulou 4,53%.

Dos 9 grupos de atividades investigados, apenas 3 grupos apresentaram variação mensal negativa em Goiânia no mês de setembro: Comunicação (-0,10%), Alimentação e bebidas (-0,07%) e Vestuário (-0,01%). Respondendo por cerca de 20% das despesas das famílias, o grupo Transporte, que em agosto apresentou deflação (-0,57%), em setembro apresentou a maior alta entre os grupos pesquisados, com 1,20%. Os demais grupos que apresentaram as maiores altas no índice de preços para os goianienses foram: Artigos de residência (0,74%), Habitação (0,66%) e Saúde e cuidados pessoais (0,58%).

 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)