A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Use of undefined constant v - assumed 'v'

Filename: controllers/noticia.php

Line Number: 85

ECONOMIA - Inflação oficial fica em 0,10% em outubro, menor taxa para o mês desde 1998
Quarta-feira, 13 de novembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Economia

Inflação oficial fica em 0,10% em outubro, menor taxa para o mês desde 1998

Postado em: 07-11-2019 às 11h15
No acumulado em 12 meses, IPCA recuou para 2,54%, ficando ainda no piso da meta do governo para o ano (2,75%)| Foto: Divulgação/ Marcello Casal/ Agência Brasil

Eduardo Marques*

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), considerado a inflação oficial do país, ficou em 0,10% em outubro, influenciado principalmente pela queda no preço da energia, segundo divulgou nesta quinta-feira (7) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Este é o menor resultado para um mês de outubro desde 1998, quando o IPCA ficou em 0,02%.

No acumulado do ano, o IPCA está agora em 2,60%. E, nos últimos 12 meses, a variação é de 2,54%, abaixo do índice de 2,89%, encontrado nos 12 meses anteriores. Três grupos pesquisados apresentaram deflação: habitação (-0,61%), artigos de residência (-0,09%) e comunicação (-0,01%).

A queda no grupo de habitação foi puxada pelo item energia elétrica, com 3,22% negativos. As altas ficaram por conta de vestuário (0,63%), transportes (0,45%) e saúde e cuidados pessoais (0,40%). A maior alta em vestuário foi atribuída a roupas femininas: 0,98%.

Embora a energia elétrica tenha sido uma das responsáveis por puxar o índice para baixo em outubro, o gerente do IPCA, Pedro Kislanov, prevê uma alta para este mês.

Ele explica que, em outubro, as contas pagas pelos consumidores estavam com bandeira amarela, que adicionava R$ 1,50 a cada 100km/h consumidos. 

Para novembro, a variação do item será regida pela bandeira vermelha, que aumentou de R$ 4 para R$ 4,16 a cada 100kw/h consumidos. “Provavelmente deve ter uma alta de energia elétrica em novembro”, disse o economista do IBGE. 

*Com informações da Agência Brasil 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar