16 de outubro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Esporte
Esportes
04/10/2018 | 06h00
Com prejuízo, Cruzeiro encara o Boca Juniors, da Argentina
No jogo de ida, argentinos venceram por 2 a 0 em duelo recheado de polêmicas, e agora os brasileiros tentam reverter o resultado

O zagueiro Dedé teve suspensão anulada e reforça a zaga da Raposa em Belo Horizonte

*Luiz Felipe Mendes

Agora é a vez do Cruzeiro. Depois da definição dos destinos dos outros dois brasileiros na Libertadores, Grêmio e Palmeiras, o tupiniquim com a missão mais difícil até aqui vai em busca da vaga na semifinal da competição continental. Hoje, às 21h45, os mineiros recebem o Boca Juniors, da Argentina, que por sua vez pode até perder por um gol de diferença que ainda assim avança. A partida válida pelas quartas de final acontece no Estádio do Mineirão.

Há duas semanas, no Estádio La Bombonera, em Buenos Aires, o futebol sul-americano ganhou um de seus capítulos mais controversos da história. No primeiro tempo do jogo entre Cruzeiro e Boca Juniors, os mandantes saíram na frente. Os visitantes, os quais tinham feito uma primeira metade bem abaixo do normal, voltaram melhores na segunda etapa e pressionaram o Boca, construindo boas chances de gol. Aos 29 minutos, porém, o juiz Eber Aquino consultou o árbitro de vídeo e julgou que o zagueiro Dedé havia agredido o goleiro Andrada, expulsando o jogador.

A decisão, é claro, foi completamente duvidosa. No lance em questão, o defensor cruzeirense tentou cabecear a bola e acabou atingindo o arqueiro adversário sem a intenção, em um feio choque. O cartão vermelho com tons de injustiça murchou a equipe do Cruzeiro, justamente no momento em que mais tentava o empate. Coincidência ou não, pouco depois o Boca fez 2 a 0, alargando ainda mais a vantagem. Para avançar às semis, a Raposa precisa vencer em Belo Horizonte por três ou mais gols de diferença; um 2 a 0, desta vez para o Cruzeiro, leva a disputa para os pênaltis.

Para o embate com os argentinos, o técnico Mano Menezes deve ter força máxima. Com os recentes retornos de nomes como o do meia Arrascaeta e os atacantes Sassá e Fred, o treinador da equipe mineira espera contar com todas as opções para tentar furar o bloqueio do Boca e desbancar os hexacampeões da Libertadores. O desafio, no entanto, é grande, pois em apenas duas das sete vezes em que saiu atrás em um mata-mata do torneio o clube conseguiu reverter em seguida. A última vez que isto aconteceu foi em 2015, diante do São Paulo.

Sem grandes pretensões no Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro volta as atenções para a principal competição do continente. Apesar de estar novamente na final da Copa do Brasil, a Libertadores costuma sempre ser a obsessão dos times brasileiros, e com a Raposa não é diferente. Com dois títulos no currículo, os mineiros querem alcançar a sua quinta final, a duas etapas da mesma. Contudo, para isso necessita de uma atuação impecável para parar um dos maiores clubes da América do Sul, e conta com o apoio da torcida para realizar tal feito. 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)