16 de outubro de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Esporte
Prejuízo
05/10/2018 | 16h55
Justiça condena Vila a pagar cerca de R$ 700 mil a ex-jogador
Cobrando salário atrasado e indenizações, ex-goleiro Elisson acionou o clube na justiça trabalhista e teve decisão favorável, mas o Tigre ainda pode recorrer

Foto: Comunicação Vila Nova

*Luiz Felipe Mendes

Dentro das quatro linhas, o Vila Nova só quer saber do clássico deste sábado, dia 6. Porém, fora delas, o clube terá que se preocupar com uma decisão judicial envolvendo um ex-atleta. O goleiro Elisson, o qual teve passagem pela equipe colorada em 2017, quando estava emprestado pelo Cruzeiro, acionou a justiça do trabalho, que condenou o Vila a pagar o valor de R$ 730.168,37 ao jogador, referente ao salário do mês de outubro, FGTS, e indenização por seguro de vida, acidentes pessoais e estabilidade provisória.

O caso desenrolou-se a partir de quando Elisson se machucou gravemente durante partida com o América Mineiro em 2017. Na época, o colorado não manteve o atleta após o fim de seu contrato, algo que deve ser feito de acordo com a Lei Pelé, até o momento em que o goleiro se recuperasse totalmente da lesão. As duas partes chegaram a tentar um acordo para que o arqueiro continuasse no Vila em 2018, cobrando assim a dívida alvirrubra, mas a negociação não foi fechada.

A decisão judicial ainda cabe recurso vilanovense, mas a expectativa é de que haja uma solução que agrade ambas as partes, porque, segundo o representante de Elisson, Filipe Rino, o jogador ainda nutre um carinho grande pelo clube goiano e por sua torcida. 

(*Luiz Felipe Mendes é integrante do programa de estágio do jornal O Hoje)

Tópicos:  vila nova,   série b,   brasileiro

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)