Sexta-feira, 13 de dezembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Esporte

"Tabu é para ser quebrado", afirma Marcelo Cabo

Postado em: 19-07-2019 às 11h25
Técnico colorado espera conseguir a primeira vitória vilanovense no Serra Dourada na Série B de 2019 diante do América Mineiro - Foto: Douglas Monteiro/VNFC

Luiz Felipe Mendes

Depois da derrota para o Atlético no clássico, o Vila Nova optou por demitir o técnico Eduardo Baptista. Em seguida, contratou Marcelo Cabo para a função. Com dois acessos para a Série A na conta, quando ajudou a subir o próprio Atlético e o CSA para a elite nacional, o treinador está perto de fazer sua estreia no comando alvirrubro. Neste sábado (20), às 16h30, o Tigre recebe o América Mineiro no Estádio Serra Dourada.

Na atual temporada da Série B, o Vila venceu apenas duas partidas: uma contra o Botafogo-SP fora de casa e outra diante do São Bento, no Olímpico. No Serra, já foram dois duelos disputados, com um empate e uma derrota somados. Apesar de número pequeno de encontros no local, Marcelo Cabo quer logo acabar com o retrospecto negativo.

“Eu costumo dizer que tabu é para ser quebrado. Me surpreende esse dado do Vila Nova ainda não ter vencido no Serra Dourada nesta Série B, porque o Vila é sempre muito forte dentro do estádio. Com certeza a gente trabalhou muito nesta semana para buscar o caminho da vitória. Temos que ter tranquilidade nesse momento, a gente sabe da importância desse jogo, mas ele não é o último do ano. Temos que ter muito equilíbrio e tranquilidade para buscar uma sequência de vitórias, que é o mais importante para o Vila”, analisou o comandante. Em seu último trabalho, ele conseguiu liderar o CSA até a Série A após décadas fora da primeira divisão, além de ter sido bicampeão alagoano depois de dez anos de jejum. Foi demitido do cargo após derrota para o Sport em amistoso pouco antes do fim da Copa América.

Marcelo Cabo também falou sobre as novidades no elenco colorado: o lateral esquerdo Romário e o atacante Alan Carius, além de outros três membros do setor ofensivo, Carlinhos, Robinho e Mailson. Sobre os dois primeiros, que devem ser titulares contra o Coelho, o técnico se mostrou confiante. “O Alan é um jogador que conheço bem. Cheguei no Volta Redonda em 2015 quando ele era uma boa referência no sub-17. Lancei ele no mesmo ano no profissional. É um jogador destemido, que conquistou a sua personalidade. Naquela ocasião eu encontrei um menino e hoje encontro um homem, um jogador muito equilibrado. Já o Romário é um jogador que todos conhecem bem no futebol goiano, no futebol brasileiro. Teve uma passagem pelo Atlético comigo e logo depois despontou no cenário nacional. Também o encontro muito mais maduro”.

Sobre os outros atacantes, ele também foi só elogios. “O Carlinhos eu acompanho desde a base do Corinthians, desde o título da Copa São Paulo em que foi artilheiro. Quando ele foi contratado eu gostei bastante. O Mailson e o Robinho foram indicações minhas, entendemos que precisávamos de jogadores mais “cascudos”, mais “carimbados”, com conhecimento da competição”, concluiu.

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar