Terça-feira, 10 de dezembro de 2019
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Esporte

O acesso do Dragão: relembre a dramática epopeia rubro-negra

Postado em: 02-12-2019 às 17h30
Escalação da última rodada, da esquerda para a direita, de cima para baixo: Nathan, Pedro Raul, Oliveira, Kozlinski, Moacir, Gilvan, Mike, Aylon, Jorginho, Nicolas e Jonathan - Foto: Afonso Cardoso

Luiz Felipe Mendes

Quando o ano de 2019 começou, o Atlético Goianiense tinha como objetivo principal retornar para a Série A do Brasileirão. No Campeonato Goiano, a equipe tinha conseguido sacramentar o título diante do Goiás, e o favoritismo na segunda divisão nacional se tornou maior. Com o despontar da Série B, o Dragão mostrou que tinha forças para subir, mas na reta final passou a vacilar. Mesmo assim, contou com um pouco de sorte para conquistar um espaço no G-4.

26 de abril. O Atlético estreava na Série B de 2019 diante do São Bento. O placar: 3 a 1 para o rubro-negro. Na sequência, 1 a 1 contra o Coritiba e então a primeira derrota, um doído 3 a 0 perante o Bragantino. O ciclo se reiniciou em seguida - um triunfo contra o Criciúma, um empate com o Vitória e um revés para o Figueirense. No começo de junho, dois resultados positivos consecutivos, diante do Guarani e do Cuiabá.

13 de julho. O Dragão retornou depois da Copa América com estilo: 2 a 0 em cima do rival Vila Nova. A partir dali, o ciclo do início do torneio deu as caras novamente - igualdade com a Ponte Preta e derrota para o Botafogo-SP. Depois disso, foram dois triunfos contra América Mineiro e Operário, um empate com o Londrina e um resultado negativo perante o CRB.

13 de agosto. Naquela data, o rubro-negro começava um período invicto que durou dez confrontos. Os adversários foram Oeste (V), Paraná (E), Brasil de Pelotas (E), Sport (E), São Bento (V), Coritiba (V), Bragantino (E), Criciúma (V), Vitória (E) e Figueirense (V). Firme no G-4 e com o segundo turno já a pleno vapor, o Atlético parecia embalado rumo ao acesso, fazendo uma excelente campanha.

30 de setembro. 2 a 0 para o Guarani em cima dos goianos. O pesadelo começou. De forma seguida, vieram empates contra Cuiabá, Vila, Ponte, Botafogo-SP, América-MG e Operário. A vaga na zona do acesso estava ameaçada. O time poderia ser ultrapassado, mas ganhou do Londrina em casa no sufoco e respirou na competição. O CRB decidiu aprontar de novo para cima do Atlético, mas este se recuperou novamente ao golear o Oeste e bater o Paraná em confronto direto.

21 de novembro. O rubro-negro saiu perdendo de 2 a 0 para o Brasil de Pelotas, a duas rodadas do final do Brasileiro. Se ganhasse, entraria no último duelo dependendo somente de si. O time foi guerreiro e conseguiu dois gols nos acréscimos, mas ainda assim não foi o suficiente. O grupo viu o América pular na frente e empurrar o Dragão para quinto lugar nas vésperas da rodada final.

30 de novembro. Partida com o Sport, já classificado para a Série A. Eram três possibilidades para o Atlético subir: vitória no Accioly e empate do América; vitória no Accioly e derrota do Coritiba; ou empate no Accioly e derrota do América. Com muita emoção, o Dragão ficou no zero a zero com o Leão da Ilha e passou a secar o Coelho, que perdeu para o São Bento em plena Arena Independência. Aquele mesmo São Bento, primeira vítima rubro-negra no torneio. O ciclo se fechou.

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar