Segunda-feira, 10 de agosto de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Esporte

Cruzeiro é rebaixado pela primeira vez em sua história

Postado em: 08-12-2019 às 19h20
Em casa, Raposa perde para o Palmeiras por 2 a 0, vê o Ceará empatar com o Botafogo no Rio e é rebaixado para a Série B - Foto: Vinnicius Silva/Cruzeiro

Luiz Felipe Mendes

Precisando vencer na rodada derradeira e ainda contar com uma derrota do Ceará fora de casa, o Cruzeiro viu os dois objetivos escaparem e caiu para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro pela primeira vez em sua história. Com gols de Zé Rafael e Dudu, o Palmeiras aplicou 2 a 0 na Raposa dentro do Mineirão e terminou o torneio em terceiro lugar.

Panorama

A situação era mais do que complicada. O Cruzeiro Esporte Clube começou o ano de 2019 como uma das sensações. Atual campeão da Copa do Brasil, o clube foi buscar no mercado nomes como Rodriguinho, Marquinhos Gabriel, Jadson (volante), Pedro Rocha, Orejuela e Dodô. A base já era boa, e o time parecia se fortalecer. A única exceção havia sido a saída de Arrascaeta para o Flamengo.

Até o início do Brasileirão, era a única equipe da elite a manter uma invencibilidade. Com 100% de aproveitamento na Libertadores e mais um título de Mineiro na conta, o Cruzeiro começou a Série A cheio de moral diante do Flamengo, no Maracanã. Porém, os cariocas triunfaram por 3 a 1. Ainda assim, tinha muita coisa pela frente.

O segundo semestre desenhou um pesadelo. Na Liberta, o time foi eliminado pelo River Plate nos pênaltis. Na Copa do Brasil, perdeu a chance de ir para mais uma decisão ao perder para o Internacional duas vezes. Logo depois, emendou uma sequência de oito jogos sem vencer.

Desespero e 38ª rodada

Avaí, Chapecoense e CSA estavam em queda livre e pareciam não ter forças para escapar do descenso. A última vaga estava em aberto, pois Cruzeiro, Ceará, Botafogo, Fluminense, Fortaleza e outros estavam ameaçados. Os três últimos foram fazendo as suas partes e se recuperando, enquanto a Raposa e o Vozão se complicavam à medida que o tempo passava.

Na última rodada do Brasileirão, estava quase tudo definido. Avaí, Chape e CSA realmente caíram, e Ceará e Cruzeiro lutavam para escapar do destino. Os nordestinos tinham vantagem, pois precisavam apenas de um empate contra o Botafogo. Para os mineiros deixarem o Z-4, precisavam ganhar do Palmeiras e torcer para que o Vozão perdesse.

O primeiro tempo foi tenso, como era de se esperar. Quando veio o intervalo, no entanto, as esperanças cruzeirenses estavam de certa forma renovadas. O Bota vencia o Ceará no Rio, e o placar em BH estava zerado. Se o resultado se mantivesse na Cidade Maravilhosa e caso a Raposa conseguisse um golzinho em seus domínios, a permanência seria assegurada.

Aos 13 minutos do segundo tempo, o Palmeiras decidiu estancar os desejos dos mandantes. Em bela trama do ataque paulista, Zé Rafael recebeu livre na área e chutou para superar o goleiro Fábio. Para “fechar o caixão”, Dudu recebeu lançamento aos 39 e de cabeça fez 2 a 0. Alguns torcedores começaram a protestar, arremessando cadeiras no campo e soltando bombas, com muita agressividade nas arquibancadas. Com isso, a equipe de arbitragem optou por encerrar a peleja.

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar