Domingo, 09 de agosto de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Esporte

Matheus se mostra preocupado com calendário, mas elogia elenco atleticano

Postado em: 13-07-2020 às 11h45
Matheus, meia-atacante, durante a atividade no estádio Abrão Manoel da Costa, em Trindade - Foto: Paulo Marcos

Felipe André

A contagem regressiva para o início do Campeonato Brasileiro já começou. Menos de um mês para começar o principal torneio nacional fez com as equipes aumentassem o ritmo de treino, já que a partir de agosto uma “maratona” vai ser instaurada. Além da Série A, a Copa do Brasil também será retomada e vai ser mais um grande desafio para as equipes goianas, o Atlético e Goiás que seguem vivos na competição.

Pensando na sequência de jogos, que vai implicar em partidas próximos ao Natal e Ano Novo no Brasil. A primeira divisão por exemplo terá uma rodada no dia 27 de dezembro e no dia 3 de janeiro, datas que geralmente os atletas que atuam em solo tupiniquim curtem as férias.

“Sendo bem sincero, a quantidade de jogos é muito grande. O jogador quer sempre estar em campo, mas entra a questão de ter um elenco qualificado, para variar e não sofrer nas partidas. Creio que o Atlético está montando um grande elenco, é claro que tem alguns que já estavam jogando, que se conhecem melhor, mas vamos precisar de um grupo grande. Se deixar eu quero jogar todos, mas eu não sou super-herói. Vamos ter uma sequência, acredito que então terá mudanças, justamente por conta do calendário. Estamos bem preparados com o Jorge Sotter, um dos melhores que já trabalhei”, destacou Matheus.

A preparação do Atlético será completada com uma série de quatro jogos-treino, até uma semana antes da estreia na Série A, contra o Corinthians, fora de casa. O clube vai enfrentar o Goiânia, Vila Nova, Cuiabá e Gama, em partidas que devem ser realizadas no Centro de Treinamento do rubro-negro. As atividades porém devem ser “secretas”, e até o momento não terá transmissão, mas uma reunião está prevista nesta semana para discutir essa possibilidade.

“Jogador precisa de ritmo de jogo. Essa pandemia afetou todo mundo e os atletas também, precisamos trabalhar em alto nível. Existe uma grande diferença entre treinar e jogar, não que no treino não se dedique, mas na partida usa muito o corpo e ficamos um grande tempo parado, perdemos massa magra e ritmo. Se tivessemos o estadual, poderia dar ritmo para quem estava jogando, quem chegou agora. Vejo como importante fazer amistosos e jogos-treino, para nos dar uma sequência maior, quando inicia jogos e campeonato é diferente de só treinar”, ressaltou Matheus.

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar