Segunda-feira, 28 de setembro de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Esporte

Pedro Henrique elogia gramado de Serrinha, mas revela preferência: "Melhor se fosse no Aníbal"

Postado em: 16-09-2020 às 17h55
Goleiro está em sua oitava temporada com a camisa da Aparecidense e fala de ano atípico no futebol – Foto: Léo Roque / Aparecidense

Victor Pimenta

A preparação na Aparecidense segue a todo vapor visando a estreia no Brasileiro da Série D. O time enfrenta neste sábado, a equipe do Operário de Várzea Grande, às 17 horas, no estádio Hailé Pinheiro (Serrinha).

O clube tem em seu elenco o goleiro experiente Pedro Henrique que comentou a expectativa de estrear em mais uma Série D na carreira, mas não escondeu a preferência pelo estádio do clube, que passa por reformas e por isso o clube jogará a primeira partida na Serrinha, que pertence ao Goiás Esporte Clube.

“Estrear em casa é sempre bom, melhor se fosse aqui no Aníbal. Esse ano fizemos muitos jogos na Serrinha, para mim hoje é o melhor gramado do estado de Goiás e tem tudo para acrescentar no nosso estilo de jogo, realçar ainda mais nossas qualidades e dando certo e começando com o pé direito, a gente tem tudo para fazer uma sequência boa de resultados dentro da competição”, disse o goleiro.

A Aparecidense que desde o começo do ano começou seu processo de reformulação do elenco, trazendo mais jogadores jovens para a disputa das competições. Um dos líderes e remanescentes do grupo dos experientes, o goleiro falou sobre as mudanças no clube que terá Romerito Mendonça como treinador da equipe durante a competição nacional.

“Na verdade, essa reformulação começou já mesmo no Goianão. Para essa Série D, montando um elenco sob o comando do Romerito, acho que a diretoria e comissão técnica se reuniram e dentro da proposta de jogo do treinador, eles avaliaram os nomes e optaram por mais essas mudanças. A rapaziada está fazendo uma pré-temporada muito boa e todo mundo já sabe o que o Romerito pensa e agora com o Thiago comandando os treinamentos nos últimos dias para agregar ainda mais no nosso estilo de jogo e está todo mundo com aquela ansiedade boa para estrear e estrear bem”, ressaltou Pedro Henrique.

Para se classificar para a Série D, o time precisa estar entre os três melhores do Goianão, tirando Atlético, Goiás e Vila Nova que disputam competições superiores. Na temporada passada, a Aparecidense pecou em campo e não garantiu sua vaga ficando de fora até início do ano da edição de 2020. Porém, por conta da pandemia e com a paralisação do futebol, muitos times acabaram sendo prejudicados, fazendo com que não pudessem disputar. Assim, o Crac que era a terceira vaga goiana, acabou desistindo e com isso a Aparecidense mais um ano garantiu sua participação no campeonato brasileiro.

“Essa situação de ficar com a vaga que a princípio era do Crac é algo que foge ao nosso controle, mas igualmente com o que vem acontecendo nessas últimas temporadas em relação a participação da Aparecidense nas competições nacionais, eu tenho ciente e o grupo também que tudo isso ocorre porque nós damos resultados dentro de campo. Nós conseguimos as vagas e com a desistência do Crac ela foi para a equipe melhor classificada, que no caso éramos nós. Então, não é surpresa não o fato de estarmos disputando uma competição nacional. Independente da forma como aconteceu, agora é se preparar, focar nessa competição, um ano meio diferente, um ano um pouco estranho, mas essa vaga não caiu no colo, caiu do céu”, concluiu o jogador da Aparecidense. 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar