Quarta-feira, 28 de outubro de 2020
GOIÂNIA-GO
{{tempo.temperatura}}°

Esporte

Atlético Goianiense fica na bronca com a arbitragem após empate contra Athletico

Postado em: 18-10-2020 às 11h25
Lateral Arnaldo argumentando com o assistente Jean Márcio - Foto: Heber Gomes

Felipe André

O Atlético Goianiense ficou no empate contra o Athletico Paranaense na noite deste último sábado (17), no estádio Olímpico. A equipe goiana entretanto deixou o campo com dois jogadores expulsos, o volante Willian Maranhão e o meia-atacante Everton Felipe, além de três atletas amarelados, sendo dois, Matheus Vargas e João Victor, por reclamação. 

Essa foi a primeira partida do árbitro Pablo Ramon Gonçalves (RN) no campo na Série A deste ano, ele foi o VAR em outras seis ocasiões na primeira divisão. Em 2019 ele também só apitou uma partida na elite do futebol brasileiro, na última rodada no empate entre Vasco e Chapecoense por 1 a 1.

“Nós precisamos entender que é um árbitro que apitou um jogo na Série A no ano passado, é o primeiro dele nesse ano, não tem experiência. O jogo demonstrou que o nervosismo dele, principalmente em lance que dava para a gente e não dava para o Athletico, principalmente em faltas que a equipe deles fizeram em nossos jogadores em momento de transição e ele não amarelou”, destacou Eduardo Souza após a partida.

A partida ficou quente com a expulsão do volante Willian Maranhão, que deu um tapa no atacante Carlos Eduardo. Minutos depois, o árbitro marcou um pênalti a favor do rubro-negro goiano, mas o VAR apontou impedimento, o que gerou revolta nas redes sociais, pois a imagem disponibilizada causa ainda mais dúvida.

“Um árbitro muito inseguro, amarelou todo mundo, até o time deles. Acho que o árbitro tem que entender que o mais equilibrado no jogo tem que ser ele. A adrenalina é tudo mais os jogadores. Sexta-feira eu vi um árbitro apitando o jogo do Goiás que dá dó, acho que ele não tem condição de apitar Série D, com todo respeito à Série D”, disse Adson Batista, presidente do Atlético Goianiense.

Adson Batista não ficou nada satisfeito com a atuação do árbitro Pablo Ramon, que ainda havia expulsado mais um atleta dos mandantes, mas voltou atrás após orientação do VAR. No fim do jogo, o meia-atacante Everton Felipe foi expulso, mesmo estando no banco de reservas, após protestar contra o bandeirinha, de acordo com a súmula.

“Acho que precisa reciclar. O 'dom Gaciba' que é o maior do planeta Terra, que manda em tudo, ele tem que fazer alguma coisa. Ele tem que levar uns caras desses para a reciclagem. Segurar jogo com cartão? A sorte é que no lance do Éder ali, que o VAR tirou a expulsão, porque senão seria humanamente impossível, ele já tinha acabado com o jogo”, completou Adson.

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar