17 de agosto de 2017 - quinta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mulheres
Apito de Respeito
23/02/2017 | 08h00
Ações reforçam o combate à violência contra a mulher no carnaval
Neste ano, iniciativas para o combate de abusos durante as festas ganham força

Amanda de Oliveira/ Especial para O Hoje

A época da folia que toma conta de todo o Brasil chegou e além dos famosos blocos de rua, marchinhas, purpurina e confete, o machismo e o assédio sexual contra as mulheres infelizmente também se fazem cada vez mais presentes nas festas.

Em 2016, de acordo com informações divulgadas pelo Ligue 180, as denúncias de violência contra a mulher no carnaval cresceram 174% em comparação ao ano anterior.  

O carnaval de 2017 ainda nem teve seu início oficial, mas diversas denúncias de abusos surgem nas redes sociais. A atriz Carolina Froes, de 22 anos, divulgou em seu Facebook no último sábado um relato sobre um abuso seguido de agressão que sofreu no bloco de carnaval Casa Comigo, em São Paulo.  

Carolina, que vendia geladinho durante a festa e estava indo embora, conta que um homem alto e forte a abordou por trás e tirou a parte de cima de sua roupa. Após reagir, com socos, o rapaz foi pra cima da vítima, agarrou o seu pescoço e a jogou no chão. 

#ApitoDeRespeito

Diversas campanhas estão sendo realizadas com o intuito de combater a violência contra as mulheres neste carnaval. Após a campanha #ApitoContraOAssedio, criada no ano passado pelas amigas Lia, Marina e Amanda, no intuito de denunciar as agressões em blocos de rua, neste ano a Skol decidiu apoiar a iniciativa e lançou a campanha #ApitoDeRespeito.

Neste carnaval, blocos espalhados por todo o país recebem o #ApitoDeRespeito, que serão distribuídos para os foliões junto com bexigas com mensagens incentivando o respeito na festa, como “Seu Respeito Me Deu Onda” ou “O carnaval é redondo, mas respeite meu quadrado”. 

O uso do apito durante as folias sugere que as mulheres chamem a atenção para se protegerem contra desrespeito e impedir assédios e qualquer tipo de exagero, funcionando como um escudo. O cara invadiu o seu espaço sem permissão? Apita! Está se sentindo incomodada ou ameaçada? Apita.

Em Salvador, um dos maiores palcos do carnaval, as ações de prevenção de violência contra as mulheres ganha ainda mais força. A Câmara Municipal da cidade lançou o slogan “Salvador: Carnaval da Alegria, da Música e do Respeito à Mulher”, que faz parte de uma campanha elaborada pela Comissão da Defesa dos Direitos da Mulher para este ano e possui o objetivo de contribuir com a redução dos índices de violência durante as festas e conscientizar a população sobre os direitos da mulher.

Nas ruas, em casa, com os amigos ou sozinho. O importante é curtir o carnaval sem esquecer o respeito às mulheres.  

Foto: divulgação 

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)