16 de dezembro de 2017 - sábado

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mulheres
Combate
09/10/2017 | 14h40
Projeto Mulher+Segura é discutido pela Guarda Civil Metropolitana
Será criada uma patrulha de atendimento nos casos de situação de risco familiar ou com medidas protetivas

Em atendimento ao que determinam a Lei Maria da Penha e o Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência contra a Mulher, a Guarda Civil Metropolitana de Goiânia (GCM) vai aderir ao combate e enfrentamento às diversas formas de violência, bem como criar patrulha de atendimento nos casos de situação de risco familiar ou com medidas protetivas.

O encontro realizado nesta segunda-feira (9) com os representantes da GCM está inserido no Gabinete de Gestão Integrada Municipal (GGIM) e tem como objetivo debater a implantação de uma ação de políticas públicas para o combate à violência doméstica, com o projeto Mulher+Segura.

De acordo com o coordenador do projeto na Guarda, Flávio Costa, o curso de capacitação terá 10 eixos principais, que abordarão, dentre outros temas, os principais procedimentos de atendimento e encaminhamento à perícia e medidas de proteção na rede pública e preservação das provas física e psíquica.

A próxima etapa é a formação da equipe de cinquenta guardas civis femininas e o curso de 50 horas a ser desenvolvido na Gerência de Pesquisas, Estudos, Ensino e Capacitação (Gpeec) da corporação, em que serão ensinadas as qualificações específicas para as abordagens de acordo com cada situação.

Além da Guarda Civil, participam o Tribunal de Justiça (TJGO), o Ministério Público (MPGO), a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM), as secretarias municipais de Políticas para as Mulheres, da Saúde (SMS), da Assistência Social (Semas) e Direitos Humanos (DH). 

Foto: Reprodução

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)