19 de dezembro de 2018 - quarta-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mulheres
Construção
08/03/2018 | 14h30
Goiás terá Casa da Mulher em Trindade e ações contra a violência doméstica
As ações foram efetuadas em parceria com a Secretaria Cidadã, hoje, no Palácio das Esmeraldas, e que reuniu representantes femininas de diversos setores da sociedade civil e do setor público

O governador de Marconi Perillo entregou nesta quinta-feira (08), a primeira parcela do Cheque Mais Moradia Construção, no valor de RS 70.000,00, para construção da Casa da Mulher, em Trindade. Na mesma ocasião, assinou, junto com outras autoridades, o protocolo de intenções que tem por objetivo implantar e executar em todo o Estado a criação e a multiplicação de grupos reflexivos, no atendimento a homens autores de violência doméstica contra a mulher.

As ações foram efetuadas em parceria com a Secretaria Cidadã, durante um café da manhã nos jardins do Palácio das Esmeraldas, e que reuniu representantes femininas de diversos setores da sociedade civil e do setor público. Nesse encontro, foi lançada a campanha “Não aceite flores como desculpa”, que incentiva a denúncia de comportamentos violentos e o rompimento do ciclo da violência contra mulher.

“A violência contra a mulher é um problema que deve ser enfrentado não apenas pelo governo, mas por toda a sociedade”, pontuou o governador. “Vivemos em um triste cenário em que dados oficiais relatam que em 2017 houve um aumento do feminicídio no Brasil, uma mulher é assassinada a cada duas horas no país e, nesse cenário desolador, os crimes de feminicídio ainda são subnotificados”, observou.

Nesse contexto, o governador lembrou a importância da ampliação da rede de atendimento à mulher no Estado como sendo algo fundamental para o enfrentamento das situações de violência. Apontou as ações do Governo de Goiás no sentido de combater severamente a violência contra a mulher, entre as quais a criação de 22 delegacias especializadas no combate à violência doméstica, a criação do centro de monitoramento permanente, da Secretaria de Segurança Pública, que acompanha, 24 horas por dia e em tempo real, os passos de agressores e de mulheres agredidas, oferecendo proteção às vítimas. A criação e a atuação dos centros de atendimentos à mulher e das unidades móveis que prestam atendimento à mulher vítima de violência em todas as partes do Estado.

Lembrou ainda a criação da Patrulha Maria da Penha, que colocou o Estado à frente de muitos outros no combate à violência contra a mulher, por meio de um projeto idealizado em 2013 pela senadora Lúcia Vânia, relatora, e presente no evento, a quem o governador cumprimentou e agradeceu muito pela iniciativa. Desejou sorte e sucesso e conclamou a “um engajamento cada vez maior na defesa da mulher e no combate severo e duro à violência”.

Casa da Mulher Goiana

É um projeto para construir casas que irão prestar, além de acolhimento provisório às mulheres vítimas de violência, serviços de atendimento jurídico, psicológico e social à população feminina. A primeira será construída em Trindade, a prefeitura doou o terreno e já fez o lançamento da obra. Em Ipameri, o processo para a construção de uma unidade já foi iniciado.

Grupo Reflexivo

Tem por objetivo promover atendimento psicológico aos homens autores de violência doméstica, por meio de reuniões terapêuticas semanais, visando reduzir os índices de reincidência e garantir a paz familiar. Os Grupos Reflexivos inserem-se nos programas de intervenção focados em produzir um efeito ressocializador no autor da violência, utilizando técnicas de psicoterapia. O programa atende às determinações da Lei Maria da Penha e cada grupo participa de 15 encontros, que são semanais, com duas horas de duração cada.

Foto: Reprodução 

 
Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)