14 de agosto de 2018 - terça-feira

Euro R$ {{cotacao.valores.EUR.valor| number:3}}    Dólar R$ {{cotacao.valores.USD.valor | number:3}}
{{tempo.cidade}}
{{tempo.previsoes[0].temperatura_min}}° MIN {{tempo.previsoes[0].temperatura_max}}° MÁX
Mulheres
Fitness
07/05/2018 | 16h55
Aulas de zumba são as mais procuradas por mulheres nas acadêmias
A modalidade foi inspirada na dança latina e trabalha principalmente os músculos dos membros inferiores

Katrine Fernandes*

A zumba é um programa fitness que envolve dança e ginástica e que virou febre entre as mulheres nas academias goianas, por trazer uma grande perda calórica e um resultado rápido de emagrecimento. Em uma hora de aula a pessoa pode chegar a perder até 1.000 calorias.

A modalidade foi inspirada na dança latina e trabalha principalmente os músculos dos membros inferiores. Segundo o Personal Dancer Marcelo JR, de 25 anos, a procura das mulheres por essa modalidade é maior por questões não só de estética mais também de espírito.

“A zumba envolve o corpo e mente, a aula traz uma alegria, traz diversão, muitas mulheres buscam certo refugio nas aulas, o material que é dado pra gente nas aulas traz essa temática que envolve a diversão.”

Ainda segundo o profissional qualquer pessoa pode participar da modalidade, até mesmo quem tem problemas patológicos, como nas articulações ou na coluna, porém, é necessário ter sempre o acompanhamento de um profissional para que ele possa fazer um treinamento individual para cada caso. Além do acompanhamento de um professor uma alimentação saudável fará toda a diferença e trará ainda melhores resultados.

As Aulas

O que poucas pessoas sabem é que a Zumba é uma marca que foi criada na década de 90 pelo coreografo Beto Perez. Para a utilização da marca o profissional precisa ter uma licença que é paga mensalmente para dar as aulas, além dessa permissão o professor precisa ainda se profissionalizar em um curso de capacitação, a marca zumba é a única é a única autorizada a treinar instrutores.

O curso básico dura apenas um dia e é pago em lotes, de US$ 160 até US$ 224. O valor mais alto é cobrado dos inscritos na semana da aula. O preço inclui o licenciamento de um ano para dar aulas. Após esse prazo, o professor deve pagar uma taxa mensal de US$ 30 para continuar usando o nome da marca.

Katrine Fernandes é integrante do programa de estágio do Jornal O Hoje com supervisão de Naiara Gonçalves.*

Tópicos:

Comentário

Comentários

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
(62) 3095-8700 / 3095-8722 (dp. comercial)