Mulheres

Saúde e prazer feminino ganham destaque nas redes sociais

Postado em: 03-01-2021 às 13h05
No espaço virtual a sexualidade da mulher deixa de ser tabu e se transforma em conhecimento/ Foto: reprodução

Jyeniffer Taveira 

As redes sociais se tornam cada vez mais um espaço de debate de ideias, onde especialistas muitas vezes encontram um local para espalhar conhecimento de forma espontânea. Esse é o caso da sexóloga e ginecologista Joice Lima, em suas redes sociais ela se dedica a  desmistificar o prazer da mulher. 

“É possível debater diversos temas dentro da sexualidade e o fato de estar na rede desconstrói o primeiro tabu de que sexo é um tema proibido”, pontua Joice. Para a profissional a possibilidade de  ensinar as pessoas, mesmo à distância, é uma riqueza que não pode ser deixada de lado.  Durante a pandemia, o recurso das lives foi muito explorado por artistas e instituições de ensino, mas também por profissionais como Joice, ela conta que após uma live recebeu um depoimento de um seguidor  de Portugal. “Ele me enviou um direct dizendo que lá em Portugal não se falava de sexo da forma tranquila como conversamos na live e que em 46 anos ele nunca havia aprendido tanto como naquele dia”, compartilha. 

Quando o assunto é prazer da mulher o debate requer muito mais atenção e respeito do que se imagina. Os últimos dados do Anuário de Segurança Pública, divulgados em outubro do ano passado, mostraram que o Estado de Goiás registrou mais de 14 mil casos de violência doméstica, o que representa um crescimento de 27% quando comparado ao período anterior. Essas demandas são relatadas por pacientes, como relata Joice. “Além de avaliar toda  a parte ginecológica, nos preocupamos com o peso, parte endócrina, cardiológica, saúde mental e psicológica. As queixas de relacionamentos conturbados e até casos de violência doméstica são muitas”. 

Conhecimento é liberdade 

Quando questionada sobre os mitos que aprisionam a sociedade, Joice fala que o principal deles é acreditar que sexo é coisa de homem. “Todos nós somos seres sexuais e temos o direito do prazer”, reforça Joice. Para a profissional esse e outros mitos apenas contribuem para desinformar homens e mulheres. “Levar informação é evitar disfunções e insatisfações, e consequentemente melhorar a qualidade dos relacionamentos”, finaliza. 

Além das formações Joice Lima  faz parte da Comissão Nacional Especializada em Sexologia da Febrasco e também é diretora da Sociedade Goiana de Ginecologia e Obstetrícia (SGGO), para compartilhar seu conhecimento, além das redes sociais, a profissional produz o podcast “Sexo Descomplicado”. “A sexualidade, de acordo com a Organização Mundial da Saúde é um dos quatro critérios para a qualidade de vida, tamanha sua importância”, conclui Joice.

 

Seja o primeiro a comentar

Fazer comentário

Acesse sua conta para comentar, é rápido e gratuito.

Inscreva-se na newsletter e receba

conteúdo exclusivo

Digite aqui o que deseja pesquisar